Criança infetada com covid-19 fecha infantário em centro comercial da Amadora

Colégio Rik&Rok foi desinfetado e ficará encerrado até dia 6 de julho.

O infantário Rik&Rok, localizada no centro comercial UBBO, na Amadora, fechou depois de uma criança ter testado positivo ao covid-19. "Uma vez que foi detetado pelos pais, em ambiente familiar, um caso positivo de covid-19 numa das crianças, a Fundação fechou o seu colégio Rik&Rok da Amadora, assegurando a não existência de linha de contágio interna", explicou ao DN a Fundação Pão de Açúcar-Auchan, proprietária do Colégio Rik&Rok na Amadora, garantindo "como prioridade a segurança dos seus utentes e dos seus colaboradores".

De imediato foram contactadas as autoridades de saúde, "tendo sido seguidas todas as suas indicações, nomeadamente a desinfeção das instalações e o contacto com todos os encarregados de educação. Trata-se de um caso único que está controlado e, assim que estejam asseguradas todas as condições de saúde e segurança tanto para as crianças e familiares, como para os funcionários, o espaço voltará a reabrir", disse a instituição, sem especificar quantas crianças frequentam o espaço e se vão ser todas testadas, bem como as famílias.

Segundo a página oficial do colégio, a creche conta com 35 colaboradores e capacidade para receber até 149 crianças até aos 5 anos de idade, a grande maioria filhos de funcionários do supermercado Auchan do respetivo centro comercial. O DN tentou contactar a Câmara Municipal da Amadora, para perceber que medidas irão ser tomadas, mas o município ainda não se manifestou.

Uma dúvida que a administração regional de saúde de Lisboa e Vale do Tejo também não desfez. "Confirma-se a existência da infeção por covid-19 no Colégio Rik e Rok Amadora (sito no Centro Comercial UBBO), mas o número de casos positivos, suspeitos, testados, etc,. são veiculados pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e pelo Ministério da Saúde, nas conferências de imprensa e boletins diários. A situação é muito recente e limitada, estando a ser acompanhada pela autoridade de saúde local", segundo explicou ao DN a administração regional de saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

"Em simultâneo, e como é habitual, foram determinadas medidas de Saúde Pública adequadas à situação, tendo em consideração as orientações da DGS, nomeadamente a desinfeção das instalações e o encerramento do colégio até 6 de julho (inclusive). Este encerramento tem como objetivo a contenção da disseminação da doença através da determinação do isolamento social profilático das crianças e funcionários", explicou o organismo.

É o terceiro caso conhecido de uma criança infetada desde a reabertura das creches a 1 de junho, depois de um ocorrido em Faro e outro em Torres Vedras.

A Amadora é o concelho mais densamente povoado do País e aquele onde se registam mais casos novos de coronavírus, estando já sujeito a novas restrições de forma a conter novas infeções. Dos 299 dos 345 novos infetados (87%) nas últimas 24 horas têm residência na região de Lisboa e Vale do Tejo. Tal como os seis óbitos divulgados hoje.

O ministro da Administração Interna revelou esta terça-feira que 19 freguesias da Grande Lisboa vão ser alvo de regras mais apertadas na grande Lisboa. A saber: Amadora (seis freguesias) e Odivelas (quatro freguesias) totalmente (a pedido dos presidentes de câmara), mais seis freguesias do município de Sintra (Linha de Sintra e IC19), duas freguesias em Loures (Camarate e Sacavém) e uma freguesia de Lisboa (Santa Clara).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG