Desmantelada rede em França que vendia testes covid negativos em aeroporto

As autoridades francesas desmantelaram uma rede, no aeroporto Charles de Gaulle, que vendia a passageiros que viajavam para África testes negativos a 150 e 300 euros.

Sete pessoas foram detidas em França por alegadamente pertencerem a uma rede que falsificava testes negativos de covid-19.

De acordo com as autoridades francesas, a operação apanhou uma organização que vendia diagnósticos negativos a passageiros no aeroporto internacional Charles de Gaulle, em Paris.

Os investigadores descobriram mais de 200 testes covid-19 negativos nos telemóveis dos suspeitos - seis homens e uma mulher entre os 29 e os 52 anos -, que estavam a ser vendidos entre os 150 e 300 euros a pessoas que pretendiam embarcar em voos internacionais sem apresentar o diagnóstico, algo que é obrigatório tendo em conta a pandemia mundial.

Os sete detidos são agora acusados de "falsificação, uso de documentos falsos e cumplicidade em fraude" e vão começar a ser julgados em março de 2021, correndo o risco de uma condenação até cinco anos de prisão e multas até 375 mil euros.

Um responsável do aeroporto Charles de Gaulle revelou que o documento era feito com o nome de um laboratório real e era depois vendido aos interessados em formato de papel ou por via eletrónica.

Este processo de investigação foi desencadeado depois de, no final de setembro, ter sido descoberto um falso teste apresentado por um passageiro que pretendia embarcar num avião para Adis Abeba, capital da Etiópia. Aliás, estas operações eram realizadas sobretudo com passageiros que tinham como destino o continente africano.

Refira-se que os suspeitos já eram conhecidos no aeroporto parisiense por embalarem bagagens de forma clandestina, cujo rendimento baixou drasticamente devido à diminuição de passageiros desde o início da pandemia.

A França registou na quinta-feira 367 mortes devido à covid-19, elevando assim o número total de óbitos desde o início da pandemia para 39.037, segundo as autoridades francesas.

No total, há 28.426 pessoas em França hospitalizadas devido à covid-19 e 4.230 desses pacientes estão em unidades de cuidados intensivos.

Os casos detetados continuam também a aumentar de forma exponencial diariamente, tendo sido identificados esta quarta-feira 58.046 novos infetados, um novo recorde desde o início da pandemia.

Já foram confirmados em França 1.601.367 casos de covid-19.

O ministro da Saúde, Olivier Véran, disse que a segunda vaga em França é "violenta" e que a situação nos hospitais é "tensa", tendo já havido necessidade de transferir 61 pacientes entre diferentes hospitais no país.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos em mais de 48,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG