Se for de férias para a Andaluzia não se esqueça da máscara, passa a ser obrigatória

A Andaluzia será a terceira região espanhola com imposição do uso da proteção facial ... mesmo na via pública. Ceuta pondera fazer o mesmo.

A Andaluzia também vai decretar o uso obrigatório de máscara. A região espanhola segue assim o exemplo de outras duas comunidades autónoma, a Catalunha e as Ilhas Baleares, que já impuseram o uso obrigatório de proteção facial seja em espaços fechados ou abertos e mesmo que haja distância social. A decisão foi anunciada este sábado pelo presidente do Conselho, Juan Manuel Moreno e entra em vigor na próxima semana. Ceuta pode ser a próxima. O presidente, Juan Jesús Vivas, garantiu que vai propor a medida em nome da prevenção.

Segundo o dirigente andaluz a decisão pretende responder aquilo a que chamou de "turismofobia", depois de vários municípios reportarem preocupação com o facto de os turistas não a usarem máscara. "Em alguns municípios andaluzes há uma fobia do turismo, pois os turistas chegam, necessários, que não usam as máscaras e isso causa algum medo entre seus habitantes, o que não é uma coisa boa", disse Moreno, lembrando que a medida também pretende fazer face a um "relaxamento geral e progressivo" entre a população "após cinco meses muito difíceis".

A Andaluzia é uma das comunidades com menor incidência de covid-19. Os principais líderes do governo andaluz enfatizaram o "comportamento exemplar" dos 8, 5 milhões de andaluzes na luta contra a pandemia, mas agora há tem 17 surtos ativos, na região sendo o território com o maior número de novos surtos após o confinamento.

O facto de a região ser um destino turístico muito procurado obriga "a ser cauteloso e tomar medidas extremas" para evitar que os surtos se agravem na região, como aconteceu em outras comunidades: "Devemos evitar ser atropelados pelo vírus e temos que avançar."

A proposta vai ser analisada pelo comité técnico que monitora o coronavírus na Andaluzia e, se receber o aval, entrará em vigor "no dia seguinte ou 48 horas". Falta ainda saber se a medida se aplica a qualquer atividade na via pública ou apenas em espaços comerciais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG