Polícias agredidos e dezenas de detidos em praça conhecida pelas "festas corona"

Com os bares e discotecas encerrados, as autoridades têm vindo a deparar-se com ajuntamentos de jovens em algumas praças, durante a madrugada. Este domingo, um desacato entre jovens e autoridades, em Frankfurt, deixou cinco polícias feridos.

As autoridades alemãs detiveram 39 cidadãos na passada madrugada, depois de uns desacatos que decorreram de uma festa ao ar livre com milhares de jovens no centro de Frankfurt, na Alemanha, numa praça já commumente conhecida como o local das "festas corona" - uma vez que os bares e discotecas continuam encerrados.

A polícia foi chamada ao local após "uma saraivada de garrafas", por volta das três horas da manhã locais, que tinham já deixado alguns presentes na festa feridos. Cinco policias acabaram também feridos, assim que intervieram para impedir a rixa. "O que eu acho especialmente repugnante é que os espectadores aplaudiram e bateram palmas quando as garrafas atingiram os meus colegas", disse o chefe da polícia de Frankfurt, Gerhard Bereswill, em conferência de imprensa.

12419181

A praça da Ópera de Frankfurt ficou mais recentemente conhecida pelos meios de comunicação locais como o ponto de encontro de jovens para as designadas "festas corona". A noite de sábado contou com cerca de três mil jovens, embora apenas entre 500 a 800 se mantivessem no local quando os distúrbios começaram, avançou Gerhard Bereswill.

O episódio terminou com 39 detenções, entre as quais a de uma mulher. A grande maioria dos detidos eram jovens com idades entre 17 e 21 anos, com origem migrante, acrescentou o chefe da polícia. Oito pessoas permanecem sob custódia e podem ser julgadas por distúrbios na via pública.

Violência escala na Alemanha, dizem autoridades

O que se sucedeu na passada madrugada não é caso único, garantem os sindicatos da polícia alemã e os operacionais de emergência, que têm alertado uma escalada da hostilidade perante o trabalho das autoridades. Alguma da tensão decorreu no seguimento das manifestações pelo movimento "Black Lives Matter" - que nasceu nos EUA, contra a violência racial por parte da polícia.

O chefe da polícia de Frankfurt, Gerhard Bereswill, disse que, embora a maioria dos cidadãos se mostre em paz perante o trabalho das autoridades, tem vindo a notar uma "crescente agressão" contra policiais nas primeiras horas da manhã das festas ao ar livre.

Este episódio de domingo foi, no entanto, "o clímax mais negativo desse desenvolvimento", disse, em conferência de imprensa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG