Mensagens em linha de apoio. William faz voluntariado anónimo durante a pandemia

O Príncipe responde a mensagens de pessoas em pânico ou com ideias suicidas

Os duques que Cambridge têm estado a fazer voluntariado durante a pandemia. O Príncipe William e Kate Middleton tão a dar assistência na linhas de apoio e emergência. "Vou partilhar um pequeno segredo com vocês, estou na plataforma como voluntário", revelou William numa videoconferência com voluntários do serviço do Shout 85258, uma espécie de linha de apoio, mas através de mensagens de texto.

Para fazer esse trabalho, o Príncipe recebeu formação sobre saúde mental para responder às questões dos cidadãos britânico em sofrimento. Aqueles que enviam mensagens para o serviço não imaginam que trocam mensagens com um membro da Família Real, uma vez que William usa um pseudónimo.

Os duques já tinham apoiado o lançamento do Shout 85258, com um donativo de três milhões de libras em serviços através da Royal Foundation. Desde que foi criado já recebeu mais de 30 mil conversas de texto, sendo que cerca de 65% das mensagens são de pessoas com menos de 25 anos. William está assim na linha de frente do apoio a jovens em perigo.

Lidar com pessoas em depressão, ataques de pânico ou pensamentos suicidas fazem parte do novo trabalho do Príncipe. Quando confrontado com uma situação de perigo iminente tem como missão trocar mensagens enquanto o apoio médico não chegar à pessoa em perigo.

Segundo o palácio de Kensington, a semana de voluntariado do príncipe termina este domingo.

Já Kate está na plataforma de contato de emergência do Serviço de Saúde inglês (NHS), onde faz chamadas de vídeo com pessoas que estão em isolamento voluntário em Inglaterra e País de Gales, segundo a BBC. A duquesa de Cambridge juntou-se assim à duquesa da Cornualha, a Condessa de Wessex e a Duquesa de Gloucester como voluntária do NHS.

A duquesa é uma das 750 mil pessoas que se inscreveram para fazer parte do "exército voluntário" do esquema após o lançamento, em abril.

A revelação público do serviço voluntários dos Duques de Cambridge surgem uma semana depois depois do casal real processar a revista Tatler por publicar um artigo sobre a exaustão de Kate com o aumento da carga de trabalho após a saída de Meghan Markle e Príncipe Harry da Família Real.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG