Kim renova um terço do órgão supremo. E país continua sem "um único caso" de covid-19

Não se sabe se o líder norte-coreano, ausente das fotos, esteve presente na reunião da Comissão dos Assuntos do Estado. Imagens publicadas pelo jornal norte-coreano Rodong Sinmun mostram centenas de membros da Assembleia Popular Suprema, sentados muito perto uns dos outros, sem máscara de proteção.

O dirigente norte-coreano, Kim Jong-un, renovou mais de um terço dos membros da Comissão dos Assuntos do Estado, órgão supremo do país, foi noticiado esta segunda-feira.

O neto do fundador da República Popular Democrática da Coreia tem vindo a consolidar o seu poder desde que sucedeu ao pai Kim Jong-il em 2011.

Kim Jong-un é presidente da Comissão dos Assuntos do Estado (CAE), na qual foram agora substituídos 13 membros. Esta remodelação foi aprovada no domingo pela Assembleia Popular Suprema, o parlamento norte-coreano, indicou a agência de notícias oficial do país KCNA.

A CAE foi criada em 2016 para substituir a poderosa Comissão de Defesa Nacional (CDN).

Fotografias publicadas pelo jornal norte-coreano Rodong Sinmun mostram centenas de membros da Assembleia Popular Suprema, sentados muito perto uns dos outros, sem máscara de proteção.

Nem um caso de covid-19

Um comunicado do governo norte-coreano reiterou não existir no país "um único caso" de covid-19, apesar da doença, detetada em dezembro na China, se ter alastrado a quase todos os países do mundo.

Pyongyang colocou milhares de norte-coreanos e centenas de estrangeiros, nomeadamente diplomatas, em confinamento e procedeu a importantes operações de desinfeção para evitar uma epidemia que seria, de acordo com peritos, catastrófica para o frágil sistema de saúde do país.

"A campanha do Estado contra a epidemia vai intensificar-se para impedir a propagação do covid-19", de acordo com o mesmo comunicado.

A KCNA não indicou se Kim Jong-un, ausente das fotografias publicadas, esteve presente na reunião.

A pandemia de covid-19 já causou mais de 112 mil mortos e infetou mais de 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG