Espanha regista mais 932 mortes. Tem 117 mil casos, mais do que em Itália

Depois de três consecutivos em que o número de mortes atingiu máximos, esta sexta-feira Espanha regista uma ligeira descida: morreram 932 pessoas em 24 horas. O número de casos de covid-19 aumentou para 117.710, número superior ao de Itália (115 mil)

Espanha regista agora 10.935 mortos por covid-19, com mais 932 vítimas mortais nas últimas 24 horas, um número diário menor do que o verificado na véspera. Após três dias de recordes diários de mortes, esta sexta-feira há uma descida - na quinta-feira tinham morrido 950 pessoas.

O total de casos de ​​​​​​​covid-19 é agora de 117.710, anunciaram as autoridades de saúde espanholas. Isto significa que houve um aumento de 7.472. A tendência, embora ténue, é de descida - no dia anterior tinham sido contabilizados 7719.

Mas, à hora da divulgação dos dados nesta manhã de sexta-feira, Espanha ultrapassa a Itália em número de casos. Itália regista 115.242 faltando a atualização de hoje. Contudo o surto começou mais tarde no país vizinho e está a ter uma progressão mais rápida, tendo ainda a Espanha menos população do que Itália.

Há 6416 pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos, mais 324 do que na quinta-feira. No relatório diário, o Ministério da Saúde admite problemas nos dados por causa das regiões espanholas: "Os dados das regiões são predominantes. Não refletem o número total de pessoas que foram admitidas na unidades de cuidados intensivos durante o período coberto pelo relatório."

O número de doentes recuperados passa a ser 30.513, mais 3770 em relação à véspera.

Além da crise de saúde, a situação política e económica é muito difícil, como o DN noticiou. Agora, o país tenciona usar os dados de telemóveis para rastrear os movimentos das pessoas durante um confinamento nacional para tentar conter a disseminação do covid-19, enquanto os farmacêuticos pedem ao governo equipamentos de proteção para evitar a doença.

"O objetivo é analisar o efeito que as medidas (de confinamento) tiveram nos movimentos das pessoas e ver se os movimentos em todo o país estão a aumentar ou diminuir", afirmou o governo em comunicado.

Apelidado de "DataCovid", o estudo será realizado pelo instituto nacional de estatística INE, com a cooperação dos principais operadores de telecomunicações do país, revelou o documento.

O governo disse que todos os dados que receber das operadoras serão eliminados de qualquer informação pessoal identificável e serão completamente anónimos, de acordo com as leis de privacidade do país.

A Espanha, uma nação com cerca de 47 milhões de habitantes, impôs um confinamento nacional em 14 de março para combater o coronavírus, com as pessoas autorizadas a sair apenas para trabalhar, comprar comida, procurar atendimento médico e passear por um breve período com o cão.

Desde então, as restrições foram reforçadas, com trabalhadores não essenciais a serem solicitados a ficar em casa a partir de 30 de março e até depois da Páscoa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG