Coronavírus. Presidente chinês agradece os 100 milhões de dólares a Bill Gates

O número diário de novos casos de contaminação por Covid-19 na China caiu este sábado, com cerca de 400 registos adicionais confirmados em 24 horas, em comparação com quase 900 na sexta-feira.

O presidente chinês, Xi Jinping, agradeceu este sábado numa carta enviada à Fundação Bill e Melinda Gates pelo financiamento "generoso", de 100 milhões de dólares, na luta contra o novo coronavírus, anunciou a imprensa estatal.

A fundação criada pelo milionário norte-americano e pela mulher comprometeu-se no início de fevereiro a investir 100 milhões de dólares (cerca de 92,6 milhões de euros) para ajudar organizações sanitárias, governos e o setor privado nos esforços para acabar com a epidemia da pneumonia viral.

"Aprecio muito a demonstração de generosidade da fundação Bill e Melinda e o vosso testemunho de solidariedade para o povo chinês é um momento importante", indicou o presidente Xi numa carta, segundo a agência oficial Nova China.

A China atravessa um "momento crítico" na luta contra a epidemia do coronavírus, que já provocou mais de 2 300 mortos e infetou mais de 76 000 pessoas no país, sublinhou o chefe de Estado.

Medidas drásticas de contenção foram impostas a dezenas de milhões de chineses, juntamente com estritas restrições de tráfego na China.

"Estas medidas excecionais levaram a resultados substanciais", disse Xi.

Para onde vão os 100 milhões de dólares?

O número diário de novos casos de contaminação por coronavírus Covid-19 na China caiu este sábado, com apenas cerca de 400 casos adicionais confirmados em 24 horas, em comparação com quase 900 na sexta-feira.

Dos 100 milhões de dólares prometidos pela fundação Gates, 20 milhões de dólares serão destinados a instituições como a Organização Mundial de Saúde (OMS), os Centros Americano e Chinês de Controlo e Prevenção de Doenças, bem como à Comissão Nacional de saúde na China.

Outros 20 milhões de dólares serão destinados às autoridades de saúde pública em países da África Subsaariana e do Sudeste Asiático, regiões mal preparadas para lidar com a epidemia e até 60 milhões de dólares serão gastos em pesquisa de vacinas, tratamentos e meios de diagnóstico.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG