Mais mortal do que a covid-19? China alerta para pneumonia desconhecida no Cazaquistão

Pneumonia desconhecida no Cazaquistão terá causado 1772 mortes nos primeiros seis meses do ano, diz embaixada chinesa

A Embaixada da China no Cazaquistão alertou esta quinta-feira os cidadãos chineses que vivem no país para uma pneumonia local, de causa desconhecida, que tem uma taxa de mortalidade "muito maior" do que o Covid-19.

A pneumonia desconhecida no Cazaquistão causou 1772 mortes nos primeiros seis meses do ano, incluindo 628 pessoas apenas em junho, entre eles cidadãos chineses, informou a embaixada em comunicado publicado na plataforma WeChat esta quinta-feira. "A taxa de mortalidade da doença é muito maior que a da covid-19", refere a declaração da embaixada, citada pelo Global Times.

Organizações como o ministério de saúde do Cazaquistão estão a estudar o "vírus desta pneumonia", informou a embaixada.

Não há indicação de que esta doença esteja relacionada com o novo coronavírus.

Alguns especialistas chineses disseram que terão de ser tomadas medidas para impedir que a pneumonia se propague pela China. O Cazaquistão faz fronteira com a região autónoma de Xinjiang Uygur, no noroeste da China.

A embaixada está a alertar aos cidadãos chineses no Cazaquistão para que se consciencializem sobre as medidas para impedir a propagação do vírus e citou a imprensa local para referir que desde meados de junho quase 500 pessoas foram infetadas com a pneumonia em três regiões do Cazaquistão.

O ministro da saúde do Cazaquistão disse esta quarta-feira que o número de doentes com pneumonia é duas a três vezes maior do que aqueles que foram infetados pelo covid-19, informou a agência de notícias cazaque Kazinform.

O ministro disse que planeia publicar registos rigorosos de casos confirmados já na próxima semana, observando que, embora não seja necessário publicar o número, o povo precisa de conhecer a verdadeira situação, relatou a Kazinform.

Segundo dados oficiais, o número de casos de pneumonia é 2,2 vezes maior em junho do que em 2019, quando houve 1700 casos, refere a versão em inglês do relatório Kazinform, que carecia de detalhes.

O Cazaquistão registou 51 059 casos confirmados de covid-19, incluindo 264 mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

"A situação de covid-19 no Cazaquistão está sob controlo", diz um comunicado enviado por uma autoridade do Ministério das Relações Exteriores do Cazaquistão ao Global Times na quinta-feira. Porém, a declaração do ministério não respondeu a perguntas acerca do alerta da embaixada chinesa sobre a pneumonia desconhecida.

Mais de 1,6 milhões de pessoas foram testadas para o covid-19 no Cazaquistão. Atualmente, o país está a realizar quase 90 mil testes por milhão de habitantes (quase 14 mil testes por dia), mais do que França, Alemanha, Canadá e muitos outros países. Existem mais de 50 mil casos de covid-19 confirmados no Cazaquistão, incluindo mais de 25 mil com sintomas e mais de 23 mil assintomáticos, adianta o comunicado.

O Cazaquistão exigiu recursos médicos e económicos para vencer a luta contra a disseminação do novo coronavírus e voltar à normalidade, diz o documento.

Em janeiro, o Cazaquistão suspendeu todos os autocarros transfronteiriços com a China e cancelou voos entre os dois países a 3 de fevereiro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG