Alemanha e França deparam-se com aumento de infeções à medida que turistas regressam a casa

Reuniões familiares e o regresso de turistas aos seus países têm contribuído para o aumento de novos diagnósticos de covid-19. Há a preocupação de novos contágios com as deslocações em tempo de férias e com as crianças a voltarem às escolas.

A Alemanha e a França registam os seus piores números diários de novos casos de covid-19 em meses, numa altura em que se teme um novo aumento do contágio na Europa à medida que os turistas regressam a casa e as crianças voltam à escola.

Nesta quinta-feira, a Alemanha reportou 1707 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, o maior número diário desde o pico da pandemia em abril.

O país tem-se saído melhor do que muitos vizinhos europeus em suprimir o vírus até agora, mas como está a acontecer em outros países, o número de casos subiu significativamente durante as férias de verão.

Grande parte do aumento foi atribuído ao regresso dos turistas, bem como às festas e reuniões familiares.

Na Alemanha, o regresso às escolas está a decorrer por fases, de modo a evitar uma grande aglomeração de crianças nos transportes públicos nas viagens para os estabelecimentos de ensino.

Alemanha rejeita aliviar restrições

Perante o aumento de casos, a Alemanha, no início deste mês, determinou a obrigatoriedade de quarentena ou a realização de testes gratuitos a qualquer pessoa que regressasse de áreas consideradas de alto risco.

E a chanceler Angela Merkel alertou nesta semana que não poderia haver, para já, um alívio das restrições impostas para travar a propagação do novo coronavírus.

Já a França registou na quarta-feira quase 3800 novos casos em apenas um dia. "Todos os indicadores continuam a subir e a transmissão do vírus está a intensificar-se", refere a Direção-Geral da Saúde francesa em comunicado.

Uso obrigatório de máscara nas ruas de Toulouse

Toulouse tornou-se, na quarta-feira, na primeira cidade francesa a decretar o uso obrigatório de máscaras ao ar livre.

Em França, as máscaras já são obrigatórias nos transportes públicos e no interior dos espaços públicos.

Medidas para travar a disseminação do vírus implementadas pelos países à medida que cresce a preocupação de um novo aumento de infeções face à deslocação em massa de pessoas decorrente das férias de verão.

Na quarta-feira, a Espanha reportou 3715 novos casos, o número mais alto desde final de maio.

A Ucrânia também relatou na quinta-feira um aumento diário recorde nos diagnósticos de covid-19, ultrapassando, pela primeira vez, as duas mil novas infeções.

As autoridades de saúde registaram 2134 novos casos nas últimas 24 horas, elevando o total para 98 537.

O ministro da Saúde, Maksym Stepanov, disse, em conferência de imprensa, que também foi reportado um número recorde de 40 mortes para um total de 2184 vítimas mortais.

As autoridades ucranianas reiteram que as pessoas estão a ignorar o distanciamento social e outras regras de saúde pública, após terem entrado em vigor as medidas de desconfinamento em maio e junho.

Finlândia retira da sua lista de viagens seguras a maioria dos países da UE

Na Finlândia, o governo retirou, na quarta-feira, a maioria dos países da União Europeia da sua "lista de viagens verdes", o que significa que apenas as pessoas que chegam dos restantes países considerados seguros podem entrar no país sem restrições a partir de segunda-feira.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG