Princesa Leonor vai estudar para o País de Gales no próximo ano

Internacional

Princesa Leonor vai estudar para o País de Gales no próximo ano

Leonor, herdeira da coroa espanhola, começará o 10.º ano num colégio no País de Gales.

A herdeira do trono espanhol vai estudar o equivalente ao ensino secundário num colégio no Reino Unido no próximo ano letivo, anunciou esta quarta-feira a Casa do Rei em comunicado.

Leonor Borbón y Ortiz, atualmente com 15 anos e a frequentar o 9.º ano, ingressa num curso internacional no 10.º ano no UWC Atlantic College, uma escola sediado no País de Gales.

A princesa das Astúrias submeteu-se numa primeira fase a uma prova anónima, de acordo com as regras de ingresso na instituição. Uma segunda fase, composta por outras provas, foi realizada por via telemática, segundo a imprensa espanhola.

Leonor mudar-se-á para a nova escola no final de agosto ou início de setembro e "vai residir, como os restantes alunos, de acordo com o regime de internato que o UWC Atlantic College tem estabelecido, dentro do seu recinto". A escola dispõe de várias casas em que os alunos se distribuem por grupos de nacionalidades, origens e confissões diferentes, convivendo com professores e funcionários da escola, lê-se no comunicado.

A frequência do curso em Gales terá um custo de 76500 euros e será suportado pela dotação anual do Estado aos reis, Felipe VI e Letizia, segundo a Casa do Rei.

Uma escola internacional frequentada por outros herdeiros reais

A mudança para o País de Gales constitui uma alteração (e novidade) em relação ao percurso do pai, Felipe VI, que só iniciou estudos nos estrangeiros depois de termina o ensino secundário em Espanha, mas é semelhante ao percurso realizado por outra herdeira europeia, Elizabeth da Bélgica, que também passou por este colégio e em setembro iniciou a sua formação militar. À semelhança da princesa dos belgas, Leonor também deverá, no futuro, frequentar um curso militar, embora a família real de Espanha não confirme esta informação.

Segundo a nota publicada pela Casa Real de Espanha, a escola galesa, fundada em 1962, "não tem qualquer condicionamento religioso, político ou qualquer outro". E acrescentam que se trata de um estabelecimento de ensino "que faz da educação uma força para unir as pessoas, as nações e as culturas pela paz e por um futuro sustentável" e que se "caracteriza pela "espírito aberto e crítico". Entre os ex-alunos estão Edoardo Agnelli, filho do fundador da Fiat, e o rei dos Países Baixos, Willem-Alexander.

Leonor segue os passos de Elizabeth da Bélgica e Willem-Alexander dos Países Baixos

O programa académico dura dois anos letivos (2021-2022 e 2022-2023), com disciplinas de ciências e letras e fica completo com "um curso interdisciplinar comum sobre teoria do conhecimento e uma monografia de caráter investigativo", acrescenta a mesma nota. A princesa Leonor "também participará e num programa especial de criatividade com formação em teatro, música, arte, desportos e serviço à comunidade, consistente com o apoio em escolas locais, trabalho com crianças com incapacidade intelectual, terceira idade e primeiros socorros". Do currículo consta ainda "a aquisição de conhecimentos de manutenção de costas e bosques, controlo de índices de contaminação do meio ambiente e recuperação de espécies animais".

A escola, acrescenta a nota oficial da Zarzuela, é frequentada por alunos de 80 nacionalidades e diferentes origens socioeconómicas - "75% dos alunos beneficiam de bolsa de estudos total ou parcial".

Estuda línguas, como inglês, francês, mandarim e árabe, mas também está familiarizada com as línguas espanholas e já discursou em catalão

Leonor, tal como a irmã, Sofia, frequenta o colégio de Nuestra Señora de los Rosales, uma escola privada em Madrid. Além das disciplinas obrigatórias deste nível de escolaridade, estuda outros idiomas. Fala inglês com fluidez, segundo o pai, e também está a aprender francês. Segundo a imprensa espanhola, tem aulas de mandarim e árabe, para além de estar familiarizada com as línguas oficiais de Espanha (que não o castelhano) - já fez intervenções públicas em catalão.

Segundo o comunicado da Casa do Rei, a frequência da nova escola será compatível com "o progressivo desenvolvimento dos seus compromissos institucionais com Espanha". Felipe VI informou o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, da decisão.

No último ano, a princesa das Astúrias ganhou protagonismo em vários atos oficiais, ao lado dos pais. Por exemplo, a entrega dos prémios com o seu nome. Leu o D. Quixote ao lado da irmã e gravou um vídeo destinado aos mais jovens. Como muitos adolescentes da sua idade, também ela esteve em isolamento profilático depois de uma colega ter testado positivo à covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG