Harry e Meghan não pediram à rainha para utilizar o nome Lilibet

Fonte do Palácio de Buckingham disse à BBC que Harry não pediu à avó para utilizar o nome pela qual a rainha é tratada pela família à filha mais nova

Harry e Meghan Markle não pediram à rainha de Inglaterra para dar o nome Lilibet à filha recém-nascida do casal, avança a BBC, que cita fonte da família real.

Lilibet, refira-se, é o nome pela qual a rainha é tratada pela família desde a sua infância.

Fonte próxima de Harry e Meghan disse à BBC que Harry tinha falado com a rainha antes do nascimento e que o neto da monarca "terá mencionado" o nome que ia dar ao filho. No entanto, fonte do palácio real desmente essa versão.

No domingo, o casal anunciou o nascimento de Lilibet Diana Mountbatten-Windsor, numa homenagem tanto à bisavó, a rainha Isabel II (que é conhecida entre a família por Lilibet), como à avó, a falecida princesa Diana - a princesa Charlotte, filha do príncipe William e Catherine, também tem Diana e Elizabeth nos seus nomes do meio.

Lilibet foi a alcunha dada à então princesa Isabel [Elizabeth em inglês] quando esta era apenas uma criança e não conseguia pronunciar o próprio nome corretamente. O seu avô, o rei Jorge V, chamava-a carinhosamente por Lillibet, que era como a descendente pronunciava o próprio nome. A alcunha pegou e passou a ser usada no seio da família real.

Isabel II assinou como Lilibet na coroa fúnebre de um de seus amigos mais próximos, Earl Mountbatten. O falecido marido da rainha, o duque de Edimburgo, também a chamava pela alcunha.

Após o nascimento de Lilibet, a imprensa britânica citou amigos do casal que sugeriram fortemente que Harry havia pedido permissão à sua avó, algo desmentido por fonte do Palácio de Buckingham, onde, ainda assim, os outros membros da realeza se mostraram "encantados com a notícia".

Lilibet é a 11.ª bisneta da rainha e irmã mais nova de Archie, que agora tem dois anos. O casal disse, em março, em entrevista a Oprah Winfrey, que não pretende ter mais filhos.

Na mesma entrevista, na Califórnia, onde Harry e Meghan vivem desde que decidiram abandonar os deveres oficiais da casa real britânica, o casal descreveu discussões dolorosas sobre a cor da pele do seu primeiro filho, a perda da proteção real e as intensas pressões que levaram Meghan a pensar em suicídio.

Embora Harry tivesse admitido problemas entre ele e o seu pai, Charles, referiu que tinha um relacionamento "muito bom" com a avó, com quem conversava regularmente por videochamada.

Bebé nasceu na sexta-feira na Califórnia

A filha dos duques de Sussex, que há mais de um ano se afastaram da família real, nasceu na sexta-feira num hospital em Santa Barbara, na Califórnia, às 11.40 locais (19.40 em Lisboa) e pesava 3,5 quilos. Ambas já estão em casa.

Harry, de 36 anos, e Meghan, de 39 anos, já são pais de Archie Harrison Mountbatten-Windsor, que nasceu a 6 de maio de 2019, um ano depois do casamento no castelo de Windsor.

No início de 2020, Meghan e Harry anunciaram que se iam afastar nos deveres da família real e que se iriam mudar para os EUA, diante do que consideraram ser intrusões insuportáveis e atitudes racistas dos media britânicos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG