Premium "Os grupos humanos mais arcaicos não eram loucos, mas os humanos modernos são"

Desbravou caminho na genética, abriu a porta ao estudo de ADN antigo, que revela espécies extintas e migrações populacionais, e o seu grupo sequenciou o genoma neandertal. Svante Pääbo esteve em Portugal e falou ao DN dessa aventura.

Em 2010, o cientista sueco Svante Pääbo revelou ao mundo algo extraordinário: os humanos modernos e os neandertais cruzaram-se entre há 50 mil e 80 mil anos, muito provavelmente na região do Médio Oriente, e geraram descendência.

A prova, como ele publicou num artigo na revista Science, nesse ano, está no rasto genético que os neandertais deixaram nos europeus, asiáticos e seus descendestes - mas não nos africanos. É algo como 1% a 4% do genoma das populações modernas não africanas, mas a descoberta pôs fim a um longo debate sobre se esse cruzamento teria ou não existido. Existiu, ponto final. E deixou marca nos nossos genes.

Ler mais

Exclusivos