Wasted Rita: o sarcasmo é a sua maneira de ver o mundo

A artista inaugura nesta sexta-feira uma exposição individual na Galeria Underdogs, em Lisboa, em que usa o entretenimento e a ironia como formas de provocar a reflexão.

Para entrar na nova exposição de Wasted Rita, na Galeria Underdogs, em Lisboa, temos de provar que somos humanos: "Selecione todas as imagens que contêm museus que neste momento exibam o mesmo número de obras de homens e de mulheres", pede-nos ela logo à entrada. Conseguem adivinhar quantos são? Nenhum, claro.

A sub-representação das mulheres nos museus (e no mundo da arte em geral) é uma das questões que já há algum tempo incomoda a artista. Não nos admira, por isso, que o título desta exposição seja And now for Something Completely Different: a Show That Features at Least one Female Artist ("E agora para algo completamente diferente: uma exposição que tem pelo menos uma artista feminina"). O que nos surpreende é que, com um título destes, o tema acabe por não ser mais explorado, ficando-se só mesmo pela entrada: "O título também é apenas uma provocação, não dita o que está a ser exposto", explica Wasted Rita. Já a referência aos Monty Python parece certeira: quando passamos por entre as fitas vermelhas e entramos na exposição damos por nós num mundo ao mesmo tempo absurdo e provocador. O mundo de Wasted Rita.

Wasted Rita é o nome artístico de Rita Gomes, de 31 anos, conhecida pelo olhar sarcástico sobre a realidade, o traço propositadamente infantil e os slogans em inglês, cheios de trocadilhos e segundos sentidos. "Wasted" significa "desperdiçada", "gasta" ou até mesmo "perdida". O nome foi escolhido logo no início da sua carreira. "Tem que ver com fases da vida em que estás superinsegura e estás só a criticar o que os outros fazem em vez de fazeres as coisas para ti e tentares ser uma pessoa no mundo", explica ela. "Queria acabar com isso na minha vida e começar eu a fazer o meu mundo. Wasted não é literal, é mais irónico."

Desde esse início, em 2011, Wasted Rita, que estudou Design Gráfico, tem trabalhado sobretudo em ilustração e nos seus projetos artísticos, tornando-se uma das vozes mais provocatórias daquilo a que geralmente se chama "arte urbana". Em 2015, um convite de Banksy para participar na exposição Dismaland, em Inglaterra, trouxe o seu nome para o grande público. Recentemente, foi Madonna quem elogiou o seu trabalho e até colocou uma peça sua no videoclipe de God Control.

Wasted Rita é presença regular na Underdogs. Há precisamente dois anos apresentou ali Happy as Sad Can Be, que era uma reflexão sobre a felicidade (e também sobre a tristeza ou sobre a depressão).

Agora, o seu olhar virou-se para o "lixo" que nos rodeia, nas redes sociais, na televisão mas também na rua. "O ponto de partida foram os vídeos absurdos do YouTube, os programas maus de televisão, Portugal na silly season, guarda-chuvas nas ruas para fazer sombra, todas estas coisas absurdas que a mim me fascinam e que me fazem querer reagir", explica. A artista passou muitas horas a ver vídeos de youtubers, os talk shows de daytime na televisão e outros programas do género numa tentativa de perceber o que é que estes produtos tinham de tão especial para cativarem milhões de pessoas: "E não percebi, sinceramente", conclui. "Depois, a partir daí, queria criar vários espaços com intervenções e que todas elas criassem interações com o público que fossem também absurdas", explica. "Depois cruzar isso com o sarcasmo, que é uma característica minha."

As interações são bastante simples: as pessoas podem deitar-se num colchão para ver os cartazes que estão pendurados no teto, ou são convidadas a ver-se ao espelho, ou a entrar num espaço e de deparar-se com uma parede vazia, ou podem subir num monta-cargas para ver um programa de trash-tv numa televisão ou ainda brincar ao tiro ao alvo. Pode parecer puro entretenimento. No entanto, em cada uma destas situações, os espectadores/intervenientes vão deparar-se com imagens e frases que remetem para realidades bastante questionáveis, como o racismo, o machismo, a misoginia, a toxicidade e a frivolidade do mundo mediático ou até mesmo o elevado preço das rendas das casas. Mesmo tendo dúvidas de que a arte mude alguma coisa, Wasted Rita espera ao menos que as suas peças levantem questões e façam as pessoas pensar, ao mesmo tempo que deixam escapar um inevitável sorriso.

Exposição de Wasted Rita
Galeria Underdogs
Rua Fernando Palha, 56 (Marvila), Lisboa
De 18 de outubro a 16 de novembro

Exclusivos