Premium Há doentes que morrem antes de serem chamados para juntas médicas

Em seis anos, o aumento de pedidos foi de 210%. Há pouco mais de 300 médicos de Saúde Pública disponíveis para uma avaliação que permite, por exemplo, a isenção de taxas moderadoras para doentes oncológicos.

Basta uma pesquisa no Portal da Queixa e as histórias sucedem-se. A mais recente data de 5 de novembro e é assinada por João Cunha. O pai, "doente oncológico pulmonar, com metástases ósseas, diagnosticado recentemente", solicitou o Atestado Médico de Incapacidade Multiuso e o tempo previsto para que seja avaliado por uma junta médica é de "oito meses a um ano". Sem o atestado, não tem direito à sua retribuição mensal nem a isenção das taxas moderadoras.

Há quem não viva o tempo suficiente para ser avaliado, reconhece Mário Durval, delegado de Saúde Regional de Lisboa e Vale do Tejo, que se queixa da falta de recursos humanos - há menos médicos do que há dez anos - mas sobretudo das crescentes exigências da Segurança Social.

Ler mais

Exclusivos