"Porque é que as pessoas desabafam tanto com um desconhecido?"
Premium

Felipa Garnel

"Na Uber tem de se trabalhar muitíssimo, e ter sorte "

Ex-apresentadora de televisão e antiga diretora da Lux, Felipa Garnel passou um mês a transportar pessoas para escrever as suas histórias. O livro chama-se Confidências - As Minhas Histórias como Motorista da Uber e sai nesta segunda-feira.

O objetivo de Felipa Garnel como motorista de Uber era partilhar as melhores histórias em livro desde o início. Mas viveu uma experiência a sério onde encontrou pessoas mal-educadas e amigos que lhe deram abraços, surpreendidos por a encontrar ali, achavam que se tinha visto obrigada a ser motorista. "Davam aquele abraço de 'a vida dá voltas, força'."

Como é que lhe surgiu esta ideia?
Era uma ideia de miúda. Sempre que entrava num táxi - e na altura só havia táxis - falava imenso com os motoristas e muitas vezes saía do táxi a chorar, outras a rir com as vidas deles. E achava que o carro era um meio que propiciava à conversa e à partilha. Tenho de ser franca, várias vezes me propuseram escrever livros - por exemplo, quando saí da Lux escrever um livro sobre a imprensa cor-de-rosa, e nunca quis fazer nada disso. E pensei, só escreverei um livro um dia que me sinta completamente confortável e tenha uma ideia que ache que é diferente. Não quero ser mais uma a escrever um livro, não quero entrar pela ficção, não quero ter pretensões a literatura. Nada disso, quero ter uma experiência e se isso der um livro, ótimo. E de repente lembrei-me disto, eu queria tanto ser taxista porque é que não vou para a Uber que é fácil? Encontrei um motorista brasileiro - eu ando muito de Uber -, fiz umas perguntas de como é que era, disse-lhe que gostava de fazer por uns tempos e se ele achava que podia fazer no meu carro. Ele explicou-me que os carros tinham de ter um averbamento para passageiros comerciais e o seguro era muito mais caro, mas que havia empresas que alugavam carros partilhados entre dois motoristas e deu-me o contacto. Cheguei a casa, fiz uma sinopse do que queria fazer e telefonei para o número dessa empresa e eles foram fantásticos - a Bluwalk, são parceiros da Uber e têm vários carros. Expliquei-lhes o que queria, porque ao telefone queriam que entrasse no roulement de motoristas e de zonas e eu não podia estar muito constrangida por horários e percursos. Tinha de tentar ter viagens longas, o máximo que conseguisse, para ter boas conversas, e em Lisboa isso acontece menos do que em Cascais, Sintra ou na linha. Eles perceberam, cederam-me um carro - o que para eles era difícil porque dividem os carros entre dois motoristas, com horários de dia e de noite, e eu só ia fazer horário de dia. Mas como trabalhei muitas horas, consegui quase compensar. Eles acabaram por também não perder nada e foi uma boa parceria.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG