A Champions está de volta. Ainda há quatro vagas para Lisboa

Cristiano Ronaldo terá de ultrapassar o Lyon de Anthony Lopes se quiser tentar conquistar a sexta Liga dos Campeões na final a oito, em Lisboa, de 12 a 23 de agosto. Há mais quatro portugueses à procura de um lugar entre os oito finalistas.

A Champions está de volta e a orelhuda já está em Portugal à espera dos últimos quatro finalistas. Atlético de Madrid (de João Félix), Atalanta, Leipzig e Paris Saint-Germain já estão apurados. A prova rainha da UEFA foi interrompida em março, numa altura em que os efeitos da covid-19 já se faziam sentir em alguns países, obrigando a suspender os jogos da segunda mão dos quatro jogos que faltavam jogar. A saber: Real Madrid-Manchester City (1-2), Chelsea-Bayern Munique (0-3), Juventus-Lyon (0-1) e Nápoles-Barcelona (1-1). São esses que nesta sexta-feira e no sábado vão tentar garantir um lugar na final a oito, que se realizará em Lisboa de 12 a 23 de agosto.

Sem equipas portuguesas em competição, estão já apurados para os quartos-de-final o PSG, a Atalanta, o Atlético de Madrid e o RB Leipzig. João Félix é para já o único português garantido na fase final, mas a presença portuguesa será de pelo menos três, uma vez que há dois duelos entre equipas com jogadores portugueses. Ronaldo vai enfrentar nesta sexta-feira Anthony Lopes. Se quiser seguir em frente, encontrar o Real Madrid na final a oito em Lisboa e tentar conquistar a sexta (histórica) Liga dos Campeões, o extremo da Juventus terá de dar a volta a um resultado negativo. Na primeira mão, em França, jogada no longínquo dia 26 de fevereiro, um golo de Lucas Tousard garantiu o triunfo que agora dá vantagem aos franceses.

A vecchia signora tenta qualificar-se pela quarta época seguida para os quartos-de-final, depois de se sagrar campeã italiana pela nona vez consecutiva. Quem vencer esta eliminatória vai encontrar nos quartos-de-final, no Estádio José Alvalade, Manchester City ou Real Madrid. Cancelo e Bernardo Silva, no City, têm possibilidade de seguirem em frente, uma vez que ganharam em Madrid e entram em vantagem no duelo da segunda mão frente ao recordista de troféus (13). Em Espanha, os merengues adiantaram-se com um golo de Isco, mas viram os citizens dar a volta no último quarto de hora, com golos de Gabriel Jesus e de Kevin de Bruyne.

Já Mário Rui (Nápoles) vai tentar impedir Messi e Nélson Semedo de vir a Portugal. Na primeira mão, Dries Mertens deu vantagem aos napolitanos, mas Antoine Griezmann fez o empate, que deixa os catalães em vantagem para chegar pela 13.ª vez consecutiva aos quartos-de-final. O jogo está envolto em alguma polémica, depois de os responsáveis do Nápoles terem pedido para jogar fora da Catalunha, onde resistem vários surtos de covid-19.

À espera do vencedor desta eliminatória está um poderoso Bayern Munique, campeão alemão pela oitava vez consecutiva, que, na primeira mão, venceu fora o Chelsea, por 3-0, com dois golos de Serge Gnabry e um de Robert Lewandowski.

Os bávaros estão assim perto de assegurar a oitava presença nos quartos-de-final, apesar de Ricardo Carvalho torcer pelos blues. "Passei muito tempo no Chelsea [de 2004 a 2010], foi o clube onde joguei mais tempo. Tem uma tarefa mais difícil do que o Real Madrid. Gostava que os dois passassem, mas, se tivesse de escolher, gostaria que o Chelsea ganhasse", admitiu o antigo central que trouxe a orelhuda para a capital portuguesa entre elogios à UEFA por ter escolhido Portugal e os lamentos por "não haver adeptos nos estádios". Durante um evento organizado pela Heineken, patrocinador da Liga dos Campeões, o atual adjunto de André Villas-Boas no Marselha admitiu que vencer a prova milionária é "o sonho de qualquer jogador", tendo ele próprio conseguido concretizar esse sonho ao serviço do FC Porto, em 2004.

Torneio a oito e sem público nas bancadas

Em junho, a UEFA anunciou que, face à evolução da pandemia e ao facto de o futebol ter parado por quase três meses, o melhor era mudar o formato final de um torneio avaliado em 3,25 biliões de euros. Para salvar a prova rainha do futebol europeu, a UEFA decidiu organizar uma inédita final com as oito equipas apuradas para os quartos-de-final e escolheu Lisboa para acolher a prova. O Estádio da Luz substitui o Estádio Olímpico Ataturk, em Istambul (Turquia), como palco da final, mas o Estádio José Alvalade também vai receber jogos.

Os quartos-de-final (12 a 15 de agosto), as meias-finais (18 e 19 de agosto) e a final (23 agosto) serão disputados apenas a uma mão, ao contrário do que estava previsto no início da temporada, entre 12 e 23 de agosto. Os jogos serão divididos pelo Estádio da Luz e pelo Estádio José Alvalade, com final a ser jogada no recinto do Benfica. O que será a segunda vez que acontece, depois da final de 2013-14, quando o Real Madrid de Ronaldo, Coentrão e Pepe bateu o Atlético. O jogo foi histórico e deixou a Luz ligada a La Décima (a décima Champions) dos merengues. Um jogo emocionante decidido no prolongamento depois de um golo de Sergio Ramos em cima do minuto 90.

Todos os jogos serão às 20.00 portuguesas e as equipas poderão realizar cinco substituições - na próxima época, voltam a ser apenas três, como habitual. Os clubes poderão inscrever três novos jogadores na sua lista A para o que resta da Liga dos Campeões 2019-20, desde que esse atletas já pertençam ao clube desde 3 de fevereiro. A lista A continua a poder contar com 25 jogadores.

Os oito finalistas ficarão distribuídos por oito hotéis e oito centros de treino (centro de treinos do Seixal -Benfica), Academia do Sporting (Alcochete), Cidade do Futebol, Estádio Coimbra da Mota, Pina Manique, Municipal de Mafra, Restelo e Jamor.

As regras sanitárias e o regulamento da prova também já foram revelados pela UEFA, destacando-se o facto de a prova ir decorrer sem público. Quando atribuiu a prova a Portugal, o organismo que rege o futebol europeu chegou a admitir ter público nos estádios.

A Champions começa a jogar-se em Lisboa já na próxima quarta-feira, com o Atalanta-PSG e o Leipzig-Atlético de Madrid. Os jogos podem ser vistos na Eleven Sports.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG