Em abril houve quase 260 mil baixas por doença

O número de baixas por doença aumentou 25% em abril face ao mesmo período do ano passado, mas caiu 20,2% comparando com o mês anterior, para 259.320, mostram as estatísticas mensais da Segurança Social.

DN/Lusa

"O número de prestações de doença abrangeu 259.320 pessoas, em abril de 2022", lê-se na síntese elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

O número de beneficiários em abril diminuiu em 65.719 (-20,2%) face a março, mas aumentou em 51.885 (+25,0%) em relação ao mesmo mês do ano anterior.

O total das prestações englobam o subsídio de doença, o subsídio de doença profissional, o subsídio de tuberculose, a concessão provisória de subsídio de doença, as baixas por contágio e o subsídio por isolamento profilático (próprio) pelo coronavírus.

Em abril, o número de pessoas com subsídio de doença foi de 150.632, representando um aumento homólogo em 17,5% e uma redução em cadeia de 3,9%.

O subsídio de doença abrangia em abril 61.571 pessoas do sexo masculino (40,9% do total) e 89.061 do sexo feminino (59,1% do total), sendo o grupo etário dos 50 aos 59 anos o mais representativo (28,9%).

Os dados relativos a abril indicam ainda que em abril, no âmbito dos vários regimes de Segurança Social, foram processadas 2.067.577 pensões de velhice, menos 1.379 pensões face ao mês anterior, mas um acréscimo de 12.862 pensões de velhice face ao período homólogo.

O número de pensões de sobrevivência processadas em abril foi de 733.820, um aumento mensal de 0,2% e de 2,2% homólogo, enquanto as pensões de invalidez mantiveram a tendência de redução, totalizando 174.878.