Golaço do Jovane renascido ofereceu triunfo ao Sporting no regresso a Alvalade (veja o lance)

Leões venceram o Paços de Ferreira (1-0), em jogo da 26.ª jornada da I Liga e igualaram o Sp. Braga no 3.º lugar.

Valeu pelos três pontos e pelo golaço de Jovane Cabral. Depois do empate em Guimarães (2-2) na jornada da retoma, o Sporting precisava vencer o Paços de Ferreira para apanhar o Sp. Braga na classificação (minhotos jogam no sábado com o Boavista) e não ser ultrapassado pelo Famalicão no quarto lugar da I Liga. Missão cumprida graças a um golo de Jovane, que voltou a ser o motor de arranque do jogo ofensivo leonino, frente a um Paços que não merecia perder o jogo e que obrigou Max a brilhar na baliza leonina.

Com Mathieu na bancada por opção, Rúben Amorim lançou Borja, mas não mexeu no esquema de três centrais e juntou o colombiano a Coates e Eduardo Quaresma, que se manteve no onze, tal como Matheus Nunes - ganhou a companhia do recuperado Wendel, que esteve muito apagado no jogo.

Já os castores, que vinham de uma surpreendente vitória em Vila do Conde, procuravam o segundo triunfo seguido para se afastar da zona de descida e apresentaram-se em Alvalade com Oleg no lugar de Bruno Teles (a cumprir castigo) no lado esquerdo da defesa, e com Diaby e Vasco Rocha no meio campo em vez de Luiz Carlos e Eustáquio.

A primeira parte foi fraca e terminou sem uma única oportunidade flagrante de golo. No segundo tempo, as equipa regressaram dos balneários mais enérgica e atrevidas no ataque. O Paços era mais objetivo face a um Sporting organizado, mas pouco ágil nas movimentações. Só a iniciativa e robustez de Jovane conseguia fazer a diferença no Sporting, que podia ter chegado ao golo aos 48 minutos, mas Sporar desperdiçou uma grande jogada de Jovane.

O jovem que no ano passado brilhou sob o comando de José Peseiro, mas depois preterido por Keizer, Tiago Fernandes, Leonel Pontes e Silas, voltou a ter um papel preponderante com Rúben Amorim e ofereceu o triunfo à equipa num remate espetacular aos 64 minutos de jogo. Que pena não haver adeptos nas bancadas para aplaudir o camisola 77, que ajoelhou uma perna - gesto celebrizado por Colin Kaerpernick - em protesto pela opressão racial.

Jovane ainda teve o 2-0 nos pés no último lance do jogo, mas o remate bateu com estrondo na barra da baliza.

O Paços nunca desistiu de procurar o empate. Depois do 1-0, Hélder Ferreira ficou a pedir uma grande penalidade depois de cair na área leonina num lance com Acuña. O árbitro mandou jogar e minutos mais tarde num lance idêntico assinalou mesmo grande penalidade para os nortenhos. A decisão viria depois a ser revertida com a ajuda o VAR e a desconcentrar a equipa de Pepa para os últimos minutos de jogo na procura do empate. Os castores viram Max negar o golo a Douglas Tanque e João Amaral e seguem na linha de água, cinco pontos acima do Portimonense (17º) e 12 pontos acima do Desp. Aves (18º).

O jogo ficou ainda marcado pela estreia de Nuno Mendes. O jovem de 17 ans foi lançado no jogo aos 72 minutos para o lugar de Acuña. Foi a terceira estreia de Rúben Amorim, depois de Eduardo Quaresma e Matheus Nunes frente ao Vit. Guimarães.

VEJA O GOLO

FICHA DE JOGO

Jogo realizado no Estádio José Alvalade, em Lisboa

Sporting - Paços de Ferreira, 1-0

Ao intervalo: 0-0

Marcadores: 1-0, Jovane Cabral, 65 minutos

Equipas:

Sporting: Luís Maximiano, Eduardo Quaresma, Coates, Borja, Rafael Camacho, Wendel (Francisco Geraldes, 83), Matheus Nunes (Eduardo, 73), Acuña (Nuno Mendes, 72), Jovane Cabral, Vietto (Gonzalo Plata, 44) e Sporar

Treinador: Rúben Amorim

Paços de Ferreira: Ricardo Ribeiro, Jorge Silva, Marcelo, Maracás, Oleg Reabciuk, Pedrinho, Diaby (Eustáquio, 65), Vasco Rocha (Luiz Carlos, 65), João Amaral, Douglas Tanque e Murilo (Hélder Ferreira, 46)

Treinador: Pepa

Árbitro: Rui Costa (AF Porto)

Ação disciplinar: cartão amarelo para Matheus Nunes (57), Diaby (63), Luiz Carlos (75) e Eduardo (75)

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido a pandemia de covid-19

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG