Madonna revela que já teve Covid-19. "Graças a Deus agora estou curada"

A cantora de 61 anos publicou no Instagram um esclarecimento em que admite que sofreu de Covid-19 e por isso fez depois o teste de anticorpos. Assegura que está saudável, sem sinais da doença.

Madonna admite que foi infetada com o novo coronavírus durante a sua digressão Madame X mas diz que já está curada, numa resposta a especulações levantadas sobre o seu estado de saúde. A cantora, que já anunciou ter contribuído com um milhão de dólares para o desenvolvimento de uma vacina, recorreu ao Instagram para garantir que não está doente.

Num post publicado no Instagram na quarta-feira, a estrela da música pop procurou esclarecer recentes "manchetes sensacionalistas" sobre a sua condição, depois de ter dito recentemente que tinha testado positivo para anticorpos à Covid-19.

"Atualmente não estou doente", assegurou, para depois explicar melhor e admitir que foi infetada com o novo coronavírus provavelmente em Paris. A artista de 61 anos tocou apenas uma noite no Grand Rex em 22 de fevereiro, antes de cancelar o concerto seguinte, alegando "problemas físicos"..

"Quando se tem um resultado positivo de anticorpos, significa que se teve o vírus, o que eu claramente tive quando fiquei doente, no final de minha tournée, em Paris, há 7 semanas, juntamente com muitos outros artistas do meu espetáculo", escreveu, acrescentando. Todos nós pensamos que tínhamos uma gripe muito forte. Graças a Deus agora estamos todos saudáveis ​​e bem."

A norte-americana disse estar orgulhosa de estar a contribuir para a reunião de fundos que levem cientistas à descoberta de uma vacina e partilhou um artigo referente a esse contributo.

Os cientistas ainda são céticos sobre a qualidade de muitos testes de anticorpos. Alguns alertaram que mesmo os testes podem produzir falsos positivos.

Na quarta-feira, Madonna juntou-se a outras celebridades e cientistas, incluindo Jane Fonda, Robert de Niro e uma série de vencedores do Prémio Nobel, num artigo coletivo em que pediram uma mudança radical no mundo, em vez de "um retorno ao normal" após a pandemia do coronavírus. Dizem que é hora de salvar o planeta e pensar na ecologia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG