"O que nos orgulha é receber filhos de agricultores". Vice-reitor da UBI responde a reitor de Lisboa

"São esses pais e esses filhos que fazem de nós uma universidade que presta um serviço público de qualidade", escreveu.

João Canavilhas, vice-reitor da Universidade da Beira Inteiror (UBI) reagiu no Facebook às afirmações do reitor do Universidade de Lisboa. "Veja-se o pedantismo bacoco do reitor da Universidade de Lisboa em entrevista à Rádio Renascença -
"Não vou ver um filho de um CEO de empresas do PSI20 a estudar no interior".

"Olhe, pela UBI já passaram filhos de ministros, de deputados, de CEOs e sei lá que mais. Mas sabe, senhor reitor, o que nos orgulha verdadeiramente é receber filhos de agricultores, de operários têxteis, de carpinteiros e de mais um sem-número de profissões. De receber filhos de quem trabalha arduamente para lhes dar uma vida melhor do que aquela que eles tiveram. São esses pais e esses filhos que fazem de nós uma universidade verdadeiramente nacional e que presta um serviço público de qualidade, apesar do subfinanciamento.

O post de João Canavilhas, de quinta-feira, dia 27, está acompanhado da ligação para a entrevista do reitor da Universidade de Lisboa. Ao Público e Renascença, António Cruz Serra lamentou a diminuição de vagas em Lisboa e Porto: "O desenvolvimento do interior não se faz com medidas destas nem à custa dos alunos. As políticas fazem-se com os recursos que se geram pelo Estado, não à custa do dinheiro das famílias. Eu não vou ver nenhum filho de um CEO das empresas do PSI20 a ir estudar para as universidades do interior por causa disto. Quero com isto dizer que, do ponto de vista social, esta medida não é louvável", disse.

As críticas do reitor da Universidade de Lisboa

António Cruz Serra já tinha criticado a diminuição de vagas nas universidades de Lisboa e Porto no discurso que proferiu na Aula Magna, naquela que foi a última lição de Marcelo Rebelo de Sousa como professor da Faculdade de Direito.

"O total de 7214 novos estudantes que neste ano recebemos é lamentavelmente menor do que em anos anteriores", disse numa alusão à decisão do governo de fechar vagas em Lisboa e no Porto, o que levou a que alunos com 18 não tivessem vaga, uma das várias críticas que teceu ao Ensino Superior no seu discurso.

"O total de 7214 novos estudantes que neste ano recebemos é lamentavelmente menor do que em anos anteriores"

Notícia atualizada às 22.14 para corrigir a informação de que o post tinha sido retirado, pois a esta hora o mesmo está visível no Facebook de João Canavilhas.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.