Nave japonesa dispara bala contra asteróide

Objetivo da missão é obter amostras que podem ajudar a confirmar a teoria de que terão sido os cometas e asteroides a trazerem à Terra a água e partículas orgânicas indispensáveis à vida.

A nave espacial não tripulada (sonda) japonesa Hayabusa-2 conseguiu pousar no asteroide Ryugu nesta quinta-feira, disparando ainda uma "bala" feita de tântalo, um metal particularmente duro, contra um alvo predefinido na sua superfície. A operação foi confirmada pela agência espacial nipónica JAXA.

O objetivo do disparo era libertar fragmentos de rocha da superfície do corpo celeste que, caso tudo tenha decorrido dentro da normalidade, terão sido recolhidos por um recipiente especial da sonda, onde ficarão armazenas até ao regresso à Terra, previsto para 2020. Antes disso, no entanto, a JAXA tentará ainda provocar uma explosão controlada no asteroide, de forma a ter acesso a amostras abaixo da sua superfície.

O Ryugu é um dos vários asteroides cuja trajetória os leva a aproximarem-se de tempos a tempos da Terra, sendo que tem algumas características que o tornam único. Rico em carbono, o corpo celeste, que se terá desviado da sua posição original na cintura de asteroides, é considerado uma relíquia do período de formação do Sistema Solar, e os cientistas acreditam que a sua análise poderá dar pistas importantes sobre a presença de água e até das moléculas orgânicas no nosso planeta.

Acredita-se, desde a missão Rosetta, da NASA, ao cometa 67P, em 2004, que estes corpos poderão ter trazido à Terra os componentes necessários à formação da vida.

A agência espacial dos Estados Unidos foi uma das primeiras a dar os parabéns à congénere japonesa pelo feito.

Exclusivos