Portugal ultrapassa os 24 milhões de testes à covid-19

Desde o início da pandemia, foram realizados "aproximadamente" 16 milhões de testes TAAN/PCR e cerca de 8,1 milhões de Testes Rápidos de Antigénio (TRAg) de uso profissional.

Portugal ultrapassou na segunda-feira a fasquia dos 24 milhões de testes à covid-19 realizados desde o início da pandemia. De acordo com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), foram feitos no total 24 056 249 milhões de testes de despiste ao SARS-CoV-2. São "aproximadamente" 16 milhões de testes TAAN/PCR e cerca de 8,1 milhões de Testes Rápidos de Antigénio (TRAg) de uso profissional.

O INSA refere, em comunicado, que em apenas sete dias, o país voltou a ultrapassar a marca de 1 milhão de testes, dados que não incluem os autotestes. Só entre 1 e 20 de dezembro, realizaram-se perto de 2,7 milhões de testes de diagnóstico (870 mil TAAN/PCR e 1,8 milhões TRAg de uso profissional), com uma média diária de quase 133 mil testes.

Em dezembro, Portugal tem registado números de testagem diária superiores a 100 mil testes em 15 dos 20 dias contabilizados, sendo que nunca se testou tanto como no dia 17, em que foram realizados 227 284 testes.

Testes gratuitos aumentam de quatro para seis por pessoa

Desde 19 de novembro que os testes rápidos de antigénio efetuados nos laboratórios e farmácias aderentes ao regime excecional de comparticipação voltaram a ser gratuitos. A medida abrange toda a população e foi reforçada, como anunciou na terça-feira o primeiro-ministro.

"Vamos passar de quatro para seis o número de testes gratuitos por pessoa em cada mês", comunicou António Costa na conferência de imprensa após a reunião extraordinária do Conselho de Ministros. Este regime de testes gratuitos está em vigor até ao final do ano, pelo menos.

Diz o INSA que a reativação do regime excecional e temporário de comparticipação "visa contribuir para a deteção e isolamento precoce de casos, prevenir e mitigar o impacto da infeção por SARS-CoV-2 nos serviços de saúde e nas populações vulneráveis, assim como reduzir e controlar a transmissão da infeção por SARS-CoV-2 e monitorizar a evolução epidemiológica da covid-19".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG