Faculdade de Ciências da UL garante normal funcionamento

Faculdade que seria alvo do ataque do jovem detido congratula-se com a ação da Judiciária.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa congratulou-se hoje com a detenção de um jovem de 18 anos, suspeito de planear uma "ação terrorista" nesta instituição, garantindo que não existem indícios que levem a alterar o normal funcionamento da escola.

"A Faculdade de Ciências, após contacto das autoridades, colaborou estreitamente no contexto da investigação em curso que levou ao desenlace hoje conhecido, com o qual nos congratulamos. O assunto está agora nas mãos das entidades competentes", apontou, numa nota enviada à comunicação social.

De acordo com o mesmo documento, o trabalho desenvolvido pelas autoridades permitiu a salvaguarda da segurança do espaço, "não tendo havido, nem havendo, indícios que aconselhem alterar o normal funcionamento da escola".

Um jovem de 18 anos foi hoje detido pela Polícia Judiciária, que diz ter impedido assim uma "ação terrorista" e ter apreendido várias armas proibidas, anunciou a instituição.

Em comunicado com o título "Impedida ação terrorista", a PJ diz que a investigação que levou à detenção foi desencadeada "por suspeitas de atentado dirigido a estudantes universitários da Universidade de Lisboa".

Através da Unidade Nacional Contraterrorismo (UNCT), a PJ encetou hoje a operação, cumprindo mandados de busca domiciliária.

"Face à gravidade das suspeitas, foi atribuída a máxima prioridade à investigação, a qual permitiria, no dia hoje, às primeiras horas do dia, interromper a atividade criminosa em curso", detalha.

Segundo a PJ, foram apreendidos "vastos elementos de prova, que confirmariam as suspeitas iniciais".

Além de armas proibidas foram apreendidos outros artigos, "suscetíveis de serem usados na prática de crimes violentos" e vasta documentação, "além um plano escrito com os detalhes da ação criminal a desencadear".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG