Costa, os refugiados e o Papa

António Costa esteve alguns minutos a sós, esta manhã, com o Papa Francisco

Uma família iraquiana refugiada, que vive hoje na Batalha, foi saudada pelo Papa na Casa de Nossa Senhora do Carmo, onde o bispo de Roma pernoitou. E foi esta família que serviu de exemplo ao primeiro-ministro, António Costa, para apontar a coincidência de valores entre crentes e não crentes, que Francisco apresenta.

Segundo António Costa, que falava aos jornalistas no final de um encontro com o bispo de Roma, Francisco "tem uma grande preocupação" com os refugiados e migrantes, numa questão "a que Portugal tem procurado responder" de "coração aberto".

Para o primeiro-ministro, esta visita mostra o "respeito" do Estado pelas religiões, mas que "não se pode nem se deve ignorar os sentimentos da sua população".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG