Casos, mortes e internamentos a subir. Quase 160 mil infeções numa semana

Na semana de 10 a 16 de maio foram registados 157.502 novos casos, mais 57.959 do que nos sete dias anteriores.

Foram registados 157.502 novos casos de covid-19 na semana de 10 a 16 de maio, mais 57.959 do que nos sete dias anteriores, indica esta sexta-feira o relatório semanal da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Além do aumento de novos casos, verifica-se uma subida no número de óbitos e internamentos.

No período em análise, morreram 191 pessoas devido à doença, mais 47 face à semana anterior, sendo que o índice de mortalidade situa-se nos 19 óbitos por milhão de habitantes (mais 33% de variação semanal).

Verifica-se uma incidência da infeção por SARS-CoV-2 a sete dias de 1.529 casos por 100 mil habitantes, o que representa uma variação semanal de mais 58%. O índice de transmissibilidade (Rt) passou de 1,13 para 1, 23.

No que se refere à situação nos hospitais, a 16 de maio estavam 1.450 pessoas internadas (mais 243 do que na segunda-feira anterior), sendo que 84 estavam em unidades de cuidados intensivos (mais 25).

Na segunda semana de maio, o Norte foi a região em que se registou a maior subida de novos casos, com 63.487 (mais 27.553 do que no período anterior), logo seguido de Lisboa e Vale do Tejo com 46.824 (mais 17.969), que reportou 57 óbitos (mais 29).

O relatório semanal da DGS indica que a região Norte regista o maior número de internados, com 588 em enfermaria (mais 131) e 40 em unidades de cuidados intensivos (mais 18), tendo sido reportadas 50 mortes (menos cinco).

No que se refere aos óbitos, o boletim indica 146 tinham mais de 80 anos, 33 tinham entre os 70 e 79 anos, oito entre os 60 e 69 anos, uma entre os 50 e 59 anos e três entre os 40 e 49 anos.

Relativamente à vacinação contra a covid-19, o boletim refere que 100% dos grupos etários das pessoas com mais de 80 anos, entre 65 e 79 anos e entre os 50 e 64 anos têm a vacinação completa contra a covid-19.

Quanto à dose de reforço da imunização contra o SARS-CoV-2, 95% dos idosos com mais de 80 anos já a recebeu, assim como 97% das pessoas entre os 65 e 79 anos, 84% entre os 50 e 64 anos, 60% entre os 25 e os 49 anos e 46% entre os 18 e 24 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG