Aulas presenciais do 1.º e 2.º ciclos suspensas em cinco municípios do Algarve

"Gravidade da situação" epidemiológica leva a tomar a decisão nos municípios de Albufeira, Faro, Loulé, Olhão e São Brás de Alportel.

A Autoridade de Saúde Regional do Algarve determinou este domingo a suspensão das aulas presenciais do 1.º e 2.º ciclos nos municípios de Albufeira, Faro, Loulé, Olhão e São Brás de Alportel, devido à "gravidade da situação" epidemiológica.

Em comunicado, a autoridade de saúde regional do Algarve explica que a decisão tem como base "o princípio da precaução", devido à existência de "816 casos confirmados ativos de covid-19", com uma taxa de incidência a 14 dias por 100 mil habitantes de 583 em Albufeira, 329 em Faro, 448 em Loulé, 403 em Olhão e 326 em São Brás de Alportel.

"Esta medida, decidida pela gravidade da situação, de modo a conter cadeias de transmissão, por um período previsível de 12 dias iniciado na segunda-feira, dia 28 de junho, coincidindo com o final do ano letivo, será monitorizada permanentemente e revista no dia 09 de julho, com análise da situação epidemiológica dos municípios nessa data", pode ler-se na nota assinada pela delegada de Saúde regional do Algarve, Ana Cristina Guerreiro.

Ficam suspensas as aulas presenciais do 1.º e 2.º ciclos de todos os agrupamentos de escolas, de ensino público e privado, nos cinco municípios, é referido no comunicado.

A autoridade de saúde do Algarve salienta que a "investigação epidemiológica está em curso e será garantida a vigilância de contactos pelas autoridades de saúde, delegados de saúde e serviços de saúde pública que irão identificar e manter em isolamento profilático e vigilância os contactos diretos dos casos confirmados com o apoio permanente das forças policiais".

A autoridade de saúde solicita ainda à comunidade educativa das escolas que contactem a linha SNS24 "caso surjam sinais ou sintomas" de covid-19.

A região do Algarve é a que apresenta o índice de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-CoV-2 mais elevado no país, com 1,3, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INÇA) na sexta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG