Bastou um caso. Macau decreta estado de emergência imediata

Siga aqui as principais notícias do dia sobre a pandemia.

DN
© EPA/DEDI SINUHAJI

Macau decreta estado de emergência imediata

Macau decretou hoje o estado de emergência imediata após detetar mais um caso de infeção com o novo coronavírus, o 65.º no território, informaram as autoridades.

Trata-se de um segurança de um hotel, que tem acolhido pessoas obrigadas a cumprir quarentena no âmbito das medidas de restrição devido à covid-19.

O anúncio surge poucas horas após as autoridades sanitárias terem contabilizado mais um caso, um residente de Macau de nacionalidade turca, de 31 anos, que partiu da Turquia e que efetuou escala e transferência de voo em Singapura, que inicialmente tinha acusado negativo ao teste contra a covid-19, de acordo com o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

Em agosto, após a deteção de quatro casos da variante Delta do novo coronavírus detetados numa família, o Governo de Macau decretou também o "estado de emergência imediata" e a realização de testes à covid-19 para toda a população.

Então, as autoridades anunciaram o encerramento de espaços culturais, desportivos e de diversão, bem como a suspensão ou cancelamento de atividades que se poderiam traduzir na aglomeração de pessoas.

Macau não registou qualquer morte associada à doença ou infetados entre os profissionais de saúde.

Lusa

EUA doam 336 mil doses da vacina Johnson & Johnson a Moçambique

Os EUA doaram hoje 336 mil doses da vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson a Moçambique, anunciou a embaixada norte-americana em Maputo.

É o segundo lote entregue pela administração norte-americana depois de 302.400 vacinas da mesma marca entregues em julho e que se juntam a diversas doações internacionais.

Os EUA são "o maior doador bilateral de vacinas a Moçambique" e "têm o prazer de fazer parte deste esforço global", destacou hoje o embaixador Dennis Hearne.

A vacina Johnson & Johnson confere imunidade "numa única dose" e tem um armazenamento mais simples e barato, refere a representação diplomática em comunicado, destacando as vantagens numa altura em que Moçambique quer acelerar a vacinação.

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, anunciou na quinta-feira que já foram vacinadas 1,7 milhões de pessoas, ou seja, 10% da população que o Governo pretende abranger até final de 2022.

Roménia impõe recolher obrigatório noturno para não vacinados após aumento dos internamentos

A Roménia vai impor este fim de semana um recolher obrigatório noturno para não vacinados em várias regiões após o país ter registado um aumento dos internamentos nas UCI e quando apenas um terço da população adulta está vacinada.

O recolher obrigatório noturno vai ser aplicado de sexta-feira a domingo entre as 20:00 e as 05:00 nas localidades que tenham registado mais de seus casos diários de covid por cada mil habitantes.

A proibição de sair à rua não afetará quem tem a vacinação completa, e que deverão estar munidos do certificado de vacinação durante as deslocações noturnas.

O recolher obrigatório será aplicado a partir de hoje em 40 municípios, na sua maioria com poucos habitantes, mas que ultrapassaram o limite de seis casos para cada mil habitantes estabelecido pelas autoridades romenas.

Segundo o balanço oficial hoje divulgado, estão internados 1.116 doentes nas unidades de cuidados intensivos (uci) do país. O país balcânico tem atualmente cerca de 20 milhões de habitantes.

O número de casos graves de covid-19 disparou nas últimas semanas na Roménia, o segundo país da União Europeia (UE), e apenas à frente da vizinha Bulgária, com menos população vacinada.

Lusa

Ovar mantém campanha após debate coletivo com candidato que tem covid-19

O candidato da CDU a Ovar foi quinta-feira diagnosticado com covid-19 após debates com todos os concorrentes, mas alguns deles não foram identificados como contactos de risco pelas autoridades e PSD e Movimento2030 continuam em campanha, revelaram os cabeças-de-lista.

Carlos Ramos, candidato da coligação entre PCP e "Os Verdes", confirmou o diagnóstico à Lusa após três encontros coletivos com os restantes seis concorrentes às eleições autárquicas - um no passado domingo, no debate promovido pelo blogue informativo "Sete Sentidos", e dois outros esta terça e quarta-feira, pela rádio "Antena Vareira".

O concorrente da CDU está desde quinta-feira de manhã em isolamento profilático e disse que foi por essa razão que o debate desse dia organizado pela rádio e jornal "Voz de Esmoriz", inicialmente previsto como presencial, "passou a ser por videoconferência".

Foi por esse órgão de comunicação, aliás, que os restantes candidatos à Câmara de Ovar souberam da infeção de Carlos Ramos. Três desses concorrentes afirmam mesmo não ter recebido qualquer contacto por parte da delegação local de saúde pública com recomendações de isolamento e vigilância profilática procedimentos de segurança.

Lusa

Covid-19: Açores com 17 novas infeções e 123 casos positivos ativos

Os Açores diagnosticaram, nas últimas 24 horas, 17 novos casos positivos de covid-19, sendo 15 em São Miguel e dois na Terceira, registando atualmente 123 casos positivos ativos, anunciou hoje a Autoridade de Saúde Regional.

Segundo o comunicado diário desta entidade, registaram-se seis recuperações, nas últimas 24 horas, cinco das quais em São Miguel e uma no Pico.

Quanto aos novos casos detetados, resultam de 1.393 análises realizadas em laboratórios de referência.

"Em São Miguel, todos os casos foram registados em contexto de transmissão comunitária", informou a Autoridade de Saúde Regional.

Na Terceira, "há um novo caso positivo que corresponde a um viajante, não residente, dando origem a uma nova cadeia de transmissão local primária" e "há também um novo caso positivo, cuja origem está por aferir", lê-se no boletim diário daquela entidade.

Quanto a internamentos, estão hospitalizados seis doentes com covid-19, sendo quatro no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, um dos quais em cuidados intensivos, um no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, em cuidados intensivos, e um no Hospital da Horta, também em cuidados intensivos.

A Autoridade de Saúde Regional adianta ainda que um outro doente que estava internado no Hospital de Santo Espírito da ilha Terceira "foi transferido para o Hospital de São João, no Porto, por necessidade de terapêutica diferenciada, deixando por isso de contar como caso ativo na Terceira e no arquipélago".

Além disso, "um caso positivo reportado no comunicado de quinta-feira, do concelho da Ribeira Grande, em São Miguel, apresentou documentação comprovativa de uma anterior infeção e respetiva recuperação, deixando por este motivo de contar como caso ativo".

Com "o aparecimento de uma cadeia de transmissão local primária, no concelho de Angra do Heroísmo nas últimas 24 horas", a Autoridade de Saúde refere que "estão agora ativas no arquipélago 10 cadeias, sendo sete na Terceira, uma no Faial, uma no Pico e uma partilhada entre o Faial e o Pico".

Assim, o arquipélago regista presentemente 123 casos positivos ativos, sendo 83 em São Miguel, 18 na Terceira, 18 no Faial e quatro no Pico.

Lusa

Task force apela à vacinação das pessoas recuperadas. "Só juntos será possível vencer este vírus"

"Apela-se a todos as pessoas que recuperaram de infeção por SARS-CoV-2, diagnosticada há pelo menos 3 meses, e que não tenham sido ainda vacinadas contra a covid-19, para que compareçam num centro de vacinação covid-19, recorrendo à modalidade “casa aberta”, com a maior brevidade possível, uma vez que estes centros serão, em breve, empenhados na vacinação da gripe", lê-se no comunicado da estrutura que coordena o plano de vacinação.

A task force, liderada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, relembra que a modalidade de “casa aberta” está a funcionar sem restrições às faixas etárias, nem ao local de residência dos utentes.

"Atualmente, existindo um ritmo de vacinação mais reduzido (uma vez que a maioria da população já se encontra vacinada) e disponibilidade de vacinas, as segundas doses podem ocorrer num centro de vacinação diferente do local onde foi administrada a primeira dose", refere a nota da task force enviada às redações.

"Só juntos e com sentido de responsabilidade individual e comunitário será possível vencer este vírus", reforça a estrutura que coordena o processo de vacinação contra a covid-19

Rússia regista novo recorde diário com 828 mortes

A Rússia registou um novo recorde de 828 mortes diárias devido à covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com os dados fornecidos pelo centro de crise do Governo russo.

O recorde anterior de 820 mortes havia sido alcançado duas vezes, em 23 de setembro e 26 de agosto de 2021. A Rússia é o país mais atingido da Europa pelo coronavírus SARS-CoV-2, que acusa a doença covid-19.

No total, 202.273 pessoas morreram como resultado da covid-19 desde o início da pandemia, segundo os dados do Governo russo. A agência de estatísticas russa Rosstat, que tem uma definição mais ampla, registou mais de 350.000 mortos no final de julho de 2021.

Desde junho, a Rússia foi duramente atingida pela variante Delta do novo coronavírus, conhecida por ser mais contagiosa, e não conseguiu impedir a sua progressão. O número de novos casos chegou hoje a 21.379, segundo o Governo russo.

A vacinação, que ocorre num contexto de desconfiança por parte da população, está estagnada há meses. De acordo com uma avaliação do portal Gogov, apenas 28,4% da população russa está totalmente vacinada até ao momento.

Lusa

Bares e discotecas do Porto pedem reposição imediata de apoios

O presidente da Associação de Bares e Discotecas da Movida do Porto (ABDMP) pediu esta sexta-feira ao Governo que cumpra "de imediato" a promessa de repor os apoios aos estabelecimentos de diversão noturna, que diz estarem suspensos desde janeiro.

"Por mais que o Governo anuncie que os apoios vão ser repostos, o certo é que desde o início do ano não chegou um único euro às empresas do setor", afirmou Miguel Camões.

Em declarações à Lusa, o dirigente da estrutura que representa seis dezenas de bares e discotecas do Porto, acrescentou: "Esperamos que isso possa ser corrigido no imediato, porque nem estamos a falar de novos apoios. Estamos a falar dos apoios que existem e que, de facto, não chegam à nossa tesouraria. São-nos prometidos constantemente, mas depois, na prática, não chegam".

Comentando a decisão governamental de permitir a reabertura de estabelecimentos de diversão noturna a partir de 1 de outubro, Miguel Camões disse ter encarado "com muito agrado as declarações do primeiro-ministro", sublinhando que essas declarações estão na linha do que a ABDMP esperava.

Lusa

África com mais 1092 mortes e 24 308 infetados nas últimas 24 horas

África registou 1092 mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 208 686 o total de óbitos desde o início da pandemia, e 24 308 novos contágios, de acordo com os dados oficiais mais recentes.

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o total acumulado de casos de infeção no continente desde o início da pandemia é agora de 8 214 909 e o de recuperados é de 7 564 596, mais 11 910 nas últimas 24 horas.

A África Austral continua a ser a região mais afetada do continente, com 3 863 008 casos e 108 272 óbitos associados à covid-19. Nesta região, encontra-se o país mais atingido pela pandemia, a África do Sul, que contabiliza 2 892 081 casos e 86 655 mortes.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique contabiliza 1907 mortes associadas à doença e 150 370 infetados acumulados desde o início da pandemia, seguindo-se Angola (1460 óbitos e 53 840 casos), Cabo Verde (333 mortes e 37 290 infeções), Guiné Equatorial (142 óbitos e 11 806 casos), Guiné-Bissau (133 mortos e 6094 infetados) e São Tomé e Príncipe (47 óbitos e 3217 infeções).

Lusa

FPF pede levantamento das limitações nos recintos desportivos

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) solicitou à Direção-Geral da Saúde (DGS) o levantamento das limitações em relação à lotação dos recintos desportivos, com efeitos já em outubro, foi esta sexta-feira anunciado.

"Face à evolução do combate à pandemia em que se está próximo de atingir os 85% de população vacinada e com o levantamento de medidas de confinamento, a FPF pede à DGS o aumento da lotação de público, mantendo a exigência de apresentação do certificado digital", refere o organismo, salientando que enviou uma carta à DGS com este objetivo.

De modo a garantir a presença de mais adeptos nos estádios, a FPF manifesta ainda a sua "total disponibilidade para assegurar todas as condições necessárias" para o cumprimento das medidas e salvaguarda da saúde pública.

A taxa de ocupação do público nos recintos desportivos é atualmente de 50% da lotação, depois de já ter sido ampliada em relação aos 33%, no âmbito das restrições da pandemia de covid-19.

Os grandes eventos desportivos vão manter a necessidade de apresentação de certificado digital de vacinação contra a covid-19, de acordo com o plano de desconfinamento apresentado na quinta-feira pelo primeiro-ministro.

Leia mais aqui

Macau deteta 64.º caso desde início da pandemia

As autoridades de saúde de Macau detetaram no sábado um novo caso de infeção com o novo coronavírus, o 64.º caso desde o início da pandemia de covid-19.

Trata-se de um residente de Macau, de nacionalidade turca, de 31 anos, que partiu da Turquia e que efetuou escala e transferência de voo em Singapura, de acordo com o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

Macau não registou qualquer morte associada à doença ou infetados entre os profissionais de saúde.

Pouco mais de metade da população está vacinada, apesar de a administração gratuita da vacina estar disponível à população em geral há mais de meio ano.

Lusa

Coreia do Sul regista máximo diário de casos desde o início da pandemia

A Coreia do Sul registou hoje 2.434 novos casos de covid-19, um número recorde desde o início da pandemia, que surge logo após um dos principais períodos festivos no país asiático.

Só Seul também registou um novo recorde histórico com 903 novas infeções detetadas na sua área municipal.

Estes números chegam depois de quarta-feira que marcou o fim de um período de férias de cinco dias para "Chuseok", o festival da colheita, uma celebração familiar que envolve milhões de viagens no interior do país.

Embora a Coreia do Sul seja um dos países que melhor tem controlado a pandemia (um total de 2.434 mortos e cerca de 267.000 infetados), o ritmo lento da vacinação devido à escassez da oferta global e à irrupção da variante delta significou que o país tem vindo a registar mais de 1.000 casos por dia durante mais de 80 dias.

Atualmente, 72,3 % da população tem uma dose e 44% tem o regime completo, embora o governo espere que este último valor exceda 70% até ao final de Outubro.

Na próxima segunda-feira, as autoridades sanitárias tencionam anunciar o seu plano de começar a vacinar as crianças entre os 12 e 17 anos de idade e as mulheres grávidas no último trimestre do ano.

Lusa

Bolsonaro quis apostar caixa de uísque com Boris Johnson por "anticorpos"

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, revelou na quinta-feira que tentou "apostar uma caixa de uísque" com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, alegando ter mais anticorpos para a covid-19 do que o britânico.

A sugestão de aposta decorreu durante um encontro entre Bolsonaro e Johnson, na segunda-feira, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA).

Bolsonaro, que não se vacinou contra a covid-19, queria apostar que tinha mais anticorpos do que o primeiro-ministro, que, por sua vez, recebeu as duas doses do imunizante da AstraZeneca.

Leia mais aqui

OMS inclui mais dois medicamentos nas recomendações para tratamento

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acrescentou esta sexta-feira dois medicamentos à lista de fármacos admitidos para tratamento da covid-19 e pediu à farmacêutica que os produz para baixar os preços e levantar as patentes.

O casirivimab e o imdevimab, fabricado pela norte-americana Regeneron, são incluídos nas recomendações da OMS para tratamento de casos ligeiros de covid-19 em doentes que estejam em maior risco de hospitalização e, condicionalmente, no tratamento de casos graves da doença se se tratar de pessoas sem anticorpos.

"Dado o custo elevado e a escassez desta terapia combinada, a OMS apela à Regeneron para baixar os preços e distribuí-la equitativamente, especialmente em países de rendimentos baixos e médios e transferir a tecnologia que permita o fabrico de versões biologicamente semelhantes para que todos os pacientes que precisem deste tratamento tenham acesso a ele", afirma a organização em comunicado.

A OMS já lançou entre as empresas farmacêuticas um apelo para que candidatem versões dos medicamentos para pré-qualificação, o que permitiria aumentar o nível de produção.

Salienta ainda que o tratamento com os dois medicamentos não deve ser dado a pacientes que tenham anticorpos contra a covid-19 para "não exacerbar a desigualdade e a disponibilidade limitada do tratamento".

A OMS pede ainda aos médicos que apliquem "testes rigorosos" aos pacientes para perceberem quais é que terão mais a ganhar com este tratamento, os que ainda não tenham desenvolvido anticorpos naturais contra a covid-19.

Lusa