Mulher do juiz que chumbou Isaltino trabalha em empresa municipal de Oeiras

Denúncia feita pela candidatura de Isaltino: Catarina Isabel Macedo Cardoso trabalha desde maio nos Serviços Intermunicipalizados de Oeiras e Amadora

O Grupo de Cidadãos Eleitores "Isaltino - Inovar Oeiras de Volta" denuncia aquilo que considera ser uma complexa teia de relações entre o juiz Nuno Cardoso, que ontem rejeitou a candidatura de Isaltino Morais, e Paulo Vistas, o atual presidente da câmara e candidato a Oeiras.

Em comunicado, os responsáveis da candidatura do ex-autarca congratulam-se pela decisão do Conselho Superior Magistratura de abrir inquérito ao juiz. "Esta decisão é um passo natural, face ao que já é publicamente conhecido da relação próxima entre o candidato Paulo Vistas e o Juiz Nuno Cardoso [padrinho de casamento], bem como ao muito que, ao que parece, falta ainda conhecer desta relação. Mesmo hoje, tomámos conhecimento que a mulher do Juiz Nuno Cardoso, Catarina Isabel Macedo Cardoso, trabalha, desde o mês de maio deste ano, no laboratório dos Serviços Intermunicipalizados de Oeiras e Amadora, aprofundando a perplexidade da teia de relações entre as partes desta história", lê-se no comunicado.

Isaltino Morais garante ter respeitado "escrupulosamente" a lei durante o processo de recolha das assinaturas - "nada permite concluir que as listas contendo a identificação dos candidatos e que constam da pasta do processo de candidatura tenham sido exibidas aos cidadãos eleitores aquando da recolha das declarações de propositura, o que determina a falta de um pressuposto legal da própria constituição do grupo de cidadãos eleitores"- aguarda ser chamado a depor em sede de inquérito para expor das nossas razões e motivos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG