Microcâmaras ajudam a passar nos exames de Código

A Associação Nacional de Industriais do Ensino da Condução apresentou um total de sete queixas ao Ministério Público, três das quais este ano

Há candidatos a tirar a carta de condução que pagam cinco mil euros para ter acesso às respostas do exame de Código através de uma tecnologia que inclui o uso de uma microcâmara (instalado no casaco ou num gorro, por exemplo) e de um auricular. O alerta é da Associação Nacional de Industriais do Ensino da Condução, que conta hoje ao Jornal de Notícias já ter feito sete queixas ao Ministério Público, três das quais este ano.

Segundo uma fonte deste organismo conta ao jornal, este ano já houve pessoas apanhadas em flagrante, mais precisamente em Braga (dois casos), e em Lisboa (um caso). Quando os examinadores se apercebem do que se passa fecham a sala e chamam a PSP, garante.

Os candidatos usam uma microcâmara escondida na roupa, a qual transmite para o exterior as imagens com as perguntas do exame de código. No exterior, alguém vê essas perguntas e dá as respostas, que o candidato ouve através de um auricular.

No final de 2015, a PJ desmantelou uma rede de corrupção que envolveu mais de 20 escolas de condução no Norte do país e um centro de exames e deteve 14 pessoas, entre elas oito examinadores e seis proprietários e funcionários de escolas de condução.

A Associação Nacional de Industriais do Ensino da Condução defende a colocação de inibidores de sinal nas salas onde se realizam os exames de Código, os quais bloqueariam as transmissões. No entanto, essa medida está proibida por lei, conta o JN, pois pode causar interferências em comunicações importantes, como as da aviação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG