Costa diz que recado de Marcelo não era para o Governo

Marcelo Rebelo de Sousa disse que não se recandidata caso tragédia dos incêndios se repita

O Primeiro-Ministro recusou hoje que o Presidente da República lhe tenha enviado o recado de que não se recandidata caso de repita a tragédia dos incêndios, contrapondo que os órgãos de soberania não dialogam pelos jornais.

"O senhor Presidente da República não manda recados ao Governo pelos jornais, dialoga diretamente com o Governo", respondeu António Costa, depois de interrogado pelos jornalistas sobre a forma como tinha recebido o aviso deixado por Marcelo Rebelo de Sousa em entrevista ao jornal Público e à Rádio Renascença, segundo o qual não se recandidatará ao cargo de Presidente da República caso de repitam as tragédias dos incêndios do verão de 2017.

António Costa falava aos jornalistas após ter presidido à sessão de apresentação do simulador de pensões da Segurança Social, cerimónia que se realizou em Porto Salvo, concelho de Oeiras.

Ainda em relação a essas declarações de Marcelo Rebelo de Sousa, o líder do executivo começou por afastar o cenário de repetição de tragédias com incêndios florestais este ano ou nos próximos.

"O senhor Presidente da República já disse que é um cenário que nem sequer se põe. O que temos de fazer é trabalhar para que nenhuma tragédia dessas volte a ocorrer", alegou António Costa.

O primeiro-ministro frisou depois ter "a certeza" de que o chefe de Estado não lhe enviou qualquer recado na entrevista que concedeu ao jornal Público e à Rádio Renascença, "porque a relação entre o Governo e o Presidente da República desenvolve-se num diálogo normal".

"E todas as matérias que o Governo tem transmitido ao senhor Presidente da República faço eu diariamente, ou, pelo menos, semanalmente. E a inversa também é verdadeira. Como é normal num país que funciona civilizadamente, os órgãos de soberania relacionam-se com toda a normalidade", acentuou António Costa.

Por isso, para António Costa, "não é hábito dos órgãos de soberania, em particular nas relações entre Governo e Presidente da República, fazerem-se através da comunicação social".

"E continuarão a não fazer", acrescentou o primeiro-ministro.

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.