Marques Mendes: "António Domingues considerou-se ofendido"

Comentador disse na SIC Notícias que o administrador da Caixa decidiu sair quando foi aprovada no Parlamento a lei que obriga à entrega da declaração de rendimentos

António Domingues apresentou a sua demissão porque sentiu-se "ofendido" com a aprovação, no Parlamento, da lei que obriga as administrações da Caixa geral de Depósitos a apresentarem as declarações de rendimentos.

Quem o disse, na SIC Notícias, foi Marques Mendes, segundo o qual Domingues quis demitir-se logo na quinta-feira, quando o diploma foi aprovado com os votos favoráveis de PSD, CDS e BE. "Foi por isso que o governo e o PS pediram a repetição da votação. Houve uma votação na quinta e uma repetição na sexta", disse. "Houve ainda uma tentativa de ver se uma segunda votação alterava a primeira".

O pedido de demissão terá sido formalizado na sexta-feira, sendo que, ainda segundo marques Mendes, houve ainda tentativas de o dissuadir da decisão da parte do governo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).