Fenprof lança críticas a Cavaco Silva

Federação Nacional dos Professores (Fenprof) critica condecoração de ex-ministros da Educação.

Mário Nogueira acusou esta quinta-feira o Presidente da República de condecorar antigos ministros da Educação que "elegeram, acima de tudo, como inimigos número um os professores"

O secretário-geral da Fenprof, numa conferência de imprensa em Coimbra, considerou "absolutamente normal" as condecorações de Nuno Crato e Maria de Lurdes Rodrigues (na sexta-feira), porque Cavaco Silva identifica-se com a posição destes ex-ministros em relação aos professores.

O dirigente relembrou que a responsabilidade do encerramento de cinco mil escolas em dez anos se deve precisamente a estes "dois ministros que vão ser condecorados".

Ao todo o Presidente da República vai condecorar oito antigos dirigentes, entre os quais os antigos ministros das Finanças Vítor Gaspar e Luís Campos e Cunha.

Na conferencia de imprensa em Coimbra, Mário Nogueira falou ainda da proposta do Orçamento do Estado para 2016, que considera que não tem qualquer investimento na educação, mantendo a quebra a que se tem assistido. Em relação ao corte de 80 milhões de euros para o ensino básico e secundário e administração escolar previsto na proposta, o secretário-geral da Fenprof acredita que cria "alguma preocupação".

Em relação ao aumento de 6% para o ensino particular e cooperativo, o dirigente afirmou que "tem que ver com as opções de Nuno Crato".

Mário Nogueira falou também da necessidade de "repensar ciclos de ensino" e que com o alargamento da escolaridade obrigatória até ao 12 ano não houve nenhuma alteração a esses mesmo ciclos e currículos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG