Isaltino Morais: "Aquilo foi tudo destruído, a intenção foi destruir"

O candidato à Câmara Municipal de Oeiras reagiu ao DN sobre o facto de uma das suas sedes de candidatura ter sido vandalizada. Garante que o importante é o carinho do povo

Isaltino Morais reagiu ao DN sobre a vandalização de uma das suas sedes de candidatura - não a sede mãe, mas uma sede local, em Linda-a-Velha. E não se mostra muito afetado com o ocorrido: "Fui acordado às 4.30 da manhã pela polícia que foi à minha casa avisar-me do que aconteceu. Destruíram tudo o que estava lá dentro. Ainda não fui lá, mas tenho as fotografias que me mandaram. Mas aquilo foi tudo destruído, a intenção foi destruir, vandalizar. Enfim, situações lamentáveis", disse o antigo autarca e agora de novo candidato enquanto ia cumprimentando os munícipes.

Confrontado a revelar se tinha suspeitas sobre quem estava na origem do sucedido, Isaltino Morais preferiu falar da campanha. "Não, não, não, francamente. Eu não falo sobre essas matérias. Acho que o povo... olhe, estou aqui na rua e todos me tratam com um carinho extraordinário. Isto são acidentes de percurso que acontecem", concluiu.

O diretor de campanha, Francisco Gonçalves, disse à TSF que foram partidas montras, o material de campanha foi danificado e impressores e computadores foram partidos.

"Ficamos chateados porque nos estragaram equipamento que é uma coisa chata, mas a campanha corre como tem de correr. O programa está pronto, estamos na rua", disse o responsável à TSF, lembrando que Isaltino Morais tem a agenda do dia preenchida.

Francisco Gonçalves disse ainda à rádio que "muita coisa foi vandalizada, mas nada foi roubado".