Marques Mendes. "Vamos começar a desconfinar no dia 15"

O antigo líder do PSD diz que o governo já decidiu que o país começará a desconfinar a partir de dia 15, mas de uma maneira "muito suave".

Luís Marques Mendes afirmou este domingo, na SIC, no seu habitual espaço de opinião, que o governo já decidiu que o país vai começar a desconfinar a partir de dia 15 de março, mas ainda de uma "forma muito suave". A abertura será feita pelas creches, pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico. O antigo líder do PSD e conselheiro de Estado diz que ainda está em avaliação se será possível abrir também o comércio de bairro, como cabeleireiros e barbeiros. "Tudo o resto fica fechado até à Páscoa", garantiu.

No período da Páscoa, disse Mendes, as medidas "serão duras", com proibição de circulação entre concelhos para evitar reuniões familiares e ajuntamentos. Depois, afirmou, o governo dará sinais de quando as outras atividades poderão retomar a atividade.

O conselheiro de Estado, que costuma participar nas reuniões com o Infarmed, disse ainda que esta segunda-feira, no novo encontro com os especialistas de saúde pública, serão apresentados dois planos: um que dará as linhas mestras para o desconfinamento dentro dos próximos tempos; e outro que apresentará indicadores (as linhas vermelhas) para um eventual novo confinamento, caso haja nova vaga de covid-19.

Sobre a atual situação da pandemia em Portugal, Marques Mendes frisou que já atingimos dois dos objetivos que o Presidente da República tinha estipulado para o desconfinamento e o terceiro já prestes a ser atingido. O primeiro, do número de infetados, que Marcelo tinha colocado nos dois mil casos por 100 mil habitantes, esta semana ficámo-nos por uma média de 780 casos; o segundo dos internamentos totais, que colocou nos 1500, estamos já nos 1750 e a descer; e o terceiro é o que está mais longe, que é o dos cuidados intensivos, em que ainda estamos no dobro do que o Presidente fixou, ou seja numa média de 400 casos diários.

"Depois de sermos os piores da Europa, estamos quase a ser os melhores da Europa", sublinhou Marques Mendes. Nesse sentido, defendeu que "faz sentido começar a desconfinar, porque não podemos continuar em casa senão as pessoas começam a desobedecer ao Estado". Mas, frisou, "não podemos escancarar".

Depois de criticar o plano de vacinação coordenado pela União Europeia, que "parece um queijo suíço e mete água por todos os lados", Mendes elogiou o processo de vacinação em Portugal. "Estamos em 11.º lugar e acima da média europeia" em número de pessoas vacinadas. O antigo presidente social-democrata mostrou ainda gráficos que provam que há uma distribuição equitativa das vacinas pelo país. E deu os parabéns à ilha açoriana do Corvo por ir tornar-se o primeiro território da Europa coma sua população totalmente vacinada

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG