Marcelo pede à população para "continuar a ajudar" no combate à pandemia

Além do apelo aos portugueses, o chefe de Estado assegurou que o 10 de Junho vai assinalar um "virar de página" para o turismo na Madeira, ilha que visitou este fim de semana.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este domingo que o combate à covid-19 em Portugal "está a correr bem", mas pediu à população para "continuar a ajudar".

"O que eu peço aos portugueses não é muito. Está a correr bem. Os números de hoje comprovam isso. Mas para continuar a correr bem é preciso continuar a ajudar. É só isso", afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa, que se encontra no Funchal, comentava, deste modo, o facto de a Polícia de Segurança Pública (PSP) ter dispersado ao início da madrugada de hoje uma multidão de cerca de 500 pessoas concentradas no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, a maioria sem máscara.

"As pessoas têm de compreender que têm de ajudar", disse Marcelo Rebelo de Sousa, mostrando-se, por outro lado, "impressionado" com a atitude da população madeirense face às restrições decretadas pelo Governo Regional, nomeadamente o recolher obrigatório, que a partir de hoje vigora entre as 23.00 e as 5.00.

Até 1 de maio, o recolher obrigatório na região estava estabelecido entre as 19.00 e as 5.00 durante a semana e entre as 18:00 e as 05:00 aos fins de semana e feriados.

"Aqui, na Madeira, fiquei impressionado, porque pude testemunhar o respeito estrito, por vontade dos madeirenses, daquilo que é fundamental para a sua saúde", disse Marcelo Rebelo de Sousa, que chegou no sábado à noite à Madeira e regressa hoje a Lisboa.

10 de Junho será "virar de página" na Madeira

O Presidente da República disse que as comemorações do Dia de Portugal, que este ano decorrem na Madeira, constituem um incentivo ao turismo no arquipélago e indicou que vai estar região de 8 a 10 de junho.

"O programa vai ser um incentivo àquilo que é um virar de página relativamente, nomeadamente, à presença do turismo continental, nacional, aqui na Madeira, para além do turismo que virá do exterior", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, vincando que o programa das comemorações está "praticamente completado" e será divulgado nos próximos dias.

"Estarei cá nos dias 8, 9 e 10. Vai ser muito intenso, o programa", esclareceu, indicando que abrangerá várias áreas, bem como a participação da comunidade, sendo que o dia 08 será dedicado aos oceanos.

E reforçou: "Haverá um pouco de tudo, para tentarmos recuperar o espírito do 10 de Junho, que esteve congelado durante o ano da pandemia."

No encontro com Miguel Albuquerque, foi ainda abordada a eventual alteração da Lei das Finanças Regionais, como instrumento para a recuperação económica e social.

"É um processo em que ele [Miguel Albuquerque] vai apelar ao contributo dos senadores, num espírito amplo, num espírito ecuménico, não partidário, em diálogo com os Açores e encontrando soluções que, também elas, sejam soluções de futuro", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República sublinhou que foi uma "conversa muito rica" e "muito variada", mostrando-se "sensibilizado" com a perspetiva de longo prazo revelada pelo chefe do executivo regional, de coligação PSD/CDS-PP.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou, por outro lado, a situação da pandemia de covid-10, considerando que é "muito positiva" e indicativa de que está a aproximar-se o "fim de um processo" que resultou em custos económicos e sociais para todo o país.

"É bom poder já olhar-se para a celebração do 10 de Junho com a perspetiva de abertura económica, abertura social", disse, reforçando: "Isso também é importante, a pensar naquilo que é a atividade económica na Madeira, as perspetivas positivas para o turismo."

De acordo com os dados mais recentes da Direção Regional de Saúde, o arquipélago, com cerca de 260 mil habitantes, regista 258 casos ativos de covid-19, num total de 8.988 confirmados desde o início da pandemia, e 71 mortos associados à doença.

O Presidente da República, que este fim de semana se deslocou também aos Açores, está agora reunido com os líderes dos grupos parlamentares da Assembleia Legislativa da Madeira, devendo regressar a Lisboa por cerca das 17:30.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG