Viagem a Istambul. Justiça investiga autarcas do PS e PSD

Autarcas de Penamacor foram acusados do crime de "recebimento indevido de vantagem", tal como o empresário que os levou à Turquia. Há mais 14 autarcas de câmaras do PS e do PSD a serem investigados.

O Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra acusou o presidente e o vice-presidente da Câmara de Penamacor pela prática do crime de "recebimento indevido de vantagem" por terem participado numa viagem a Istambul com todas as despesas pagas por uma empresa de informática que fornece o município, segundo o Público.

O jornal revela que pela suspeita do mesmo crime o Ministério Público (MP) mandou extrair certidões para que sejam igualmente investigados, em processos autónomos, autarcas de 14 outros municípios liderados pelos socialistas e sociais-democratas. E ainda responsáveis de duas empresas municipais e de uma comunidade intermunicipal.

Como pena assessória, o MP pediu a perda de mandato para o autarca de Penamacor, António Soares Beites, e para o seu vice-presidente, Manuel Robalo, ambos do PS. Em causa está a sua participação numa viagem a Istambul, entre 18 a 21 de abril de 2015, a convite da ANO - Sistemas de Informação e Serviços, Lda, com todas as despesas pagas. Acusado do mesmo crime, mas na forma agravada, foi o sócio-gerente da empresa, Manuel da Cunha Amorim.

Segundo o Público, e de acordo com a acusação, a viagem de "cariz predominantemente lúdico e recreativo", que custou um total de 35 365 euros, destinou-se a criar "uma maior recetividade às propostas comerciais da empresa que "procurou assim cair nas boas graças dos autarcas".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG