Rui Rio reage à acusação do caso Tancos. "Costa ou sabe ou não sabe e ambas as hipóteses são más"

"Perante um assunto desta gravidade o ministro da Defesa não avisa o primeiro-ministro? Sabemos que articulou com o presidente da concelhia do PS que também é deputado e não articula com o primeiro-ministro?", questionou o líder do PSD

Rui Rio reagiu esta quinta-feira à acusação no caso de Tancos. Para o presidente do PSD, "Costa ou sabe ou não sabe e ambas as hipóteses são más", afirmou numa conferência de imprensa nas Caldas da Rainha.

O líder do PSD alterou a agenda da campanha eleitoral para reagir à acusação do Ministério Público no caso de Tancos, no qual o antigo ministro Azeredo Lopes é um dos arguidos e está acusado de quatro crimes. "Perante um assunto desta gravidade o ministro da Defesa não avisa o primeiro-ministro? Sabemos que articulou com o presidente da concelhia do PS que também é deputado e não articula com o primeiro-ministro?", questionou o presidente do PSD.

"Se articula - como é o mais provável - temos o problema de o primeiro-ministro ser conivente com aquilo que se passou. Se não avisou também temos um problema grave: um governo em que os ministros não avisam o primeiro-ministro de tudo aquilo que se passa no ministério", disse aos jornalistas.

De acordo com Rui Rio, "é pouco crível que um ministro, seja ele qual for, não articule assuntos desta gravidade com o primeiro-ministro", disse referindo-se ao encobrimento sobre Tancos. "Ainda assim eu nunca poderei dizer mesmo se ele sabia ou não", afirmou na conferência de imprensa

Para o líder do PSD, mesmo que António Costa "não saiba, um governo não pode funcionar assim".

Recorde-se que Azeredo Lopes está acusado de prevaricação, abuso de poder, denegação de justiça e favorecimento de funcionário, crimes que o Ministério Público classificou como "muito graves".

Rio sugere encenação do governo

"O que se terá passado ao longo desses quatro anos dentro do governo que o primeiro-ministro não soube e o que poderá acontecer de importante no futuro, num Governo presidido pelo dr. António Costa, que o dr. António Costa pura e simplesmente não saiba?", interrogou.

Questionado se as recentes notícias que envolveram o nome do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no caso Tancos podem ser uma "encenação" do governo, Rio respondeu afirmativamente.

"Tudo leva a crer que sim. Por parte do Governo, para que saíssem notícias para tentar pôr uma cortina de fumo. Dá-me ideia que é bem provável que possa ter acontecido", respondeu.

Na análise à acusação do caso Tancos, o líder do PSD considerou que "pode não ser tudo verdade, seguramente também não é tudo mentira".

"É um assunto grave em termos de funcionamento do Estado de direito democrático: há dentro dos serviços do Estado sob tutela do Governo notórias cumplicidades para dificultar a ação da justiça, seja da Procuradoria-Geral da República, seja da Polícia Judiciária", acusou.

Rio não quis alongar-se sobre o ex-ministro Azeredo Lopes, uma vez que "já não é ministro há muito tempo", dizendo que apenas quer tirar conclusões "de ordem política".

O Ministério Público acusou 23 pessoas, entre elas o ex-ministro da Defesa, José Azeredo Lopes, no caso do furto e da recuperação das armas de Tancos.

Azeredo Lopes está acusado de prevaricação, abuso de poder, denegação de justiça e favorecimento de funcionário, crimes que o MP classificou como "muito graves".

Com Lusa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG