Plano de segurança dos quartéis "está 97% concluído"

Chefe do Exército lembra no entanto que "ninguém pode garantir" que se evitará novo furto de material de guerra como o ocorrido nos paióis de Tancos

O plano de reforço da segurança das unidades do Exército está praticamente concluído em todo o país, mas o chefe do ramo admitiu esta sexta-feira que podem existir novos furtos como o ocorrido em 2017 nos paióis de Tancos.

"Ninguém pode garantir absolutamente nada, seria um bocado insensato", afirmou o general Rovisco Duarte, em declarações registadas pela Sic Notícias em Santa Margarida.

O chefe do Estado-Maior do Exército garantiu, contudo, estarem criadas "as condições para que não volte a acontecer" algo de semelhante ao ocorrido em junho de 2017, quando ocorreu o furto de variado material de guerra nos paióis de Tancos.

O "plano ambicioso" de reforço dos sistemas de segurança de "todos os quartéis, unidades, estabelecimentos e órgãos do Exército [...] está 97% concluído", adiantou ainda o CEME.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.