Luís Montenegro apresenta candidatura à liderança do PSD no domingo

O antigo líder parlamentar do PSD apresenta publicamente a sua candidatura à liderança do partido no domingo, em Lisboa.

Luís Montenegro, que assumiu ser candidato à presidência do partido numa entrevista à SIC em 9 de outubro, vai agora publicamente dizer qual é o seu projeto político para o PSD no LACS (Lisbon Art Center & Studios), edifício LACS- Rocha Conde de Óbidos, pelas 17:00 de domingo.

O antigo líder parlamentar do tempo de Pedro Passos Coelho, já tinha lançado o site da sua candidatura e a mensagem é toda virada para os portugueses, ao mesmo tempo que tem andado numa roda-viva pelo país.

Numa nota colocada hoje no Facebook, Montenegro diz que acredita "na força que os portugueses têm dentro de si e que o nosso País tem como um todo".

Prosseguindo: "A força que os portugueses deram a Rui Rio foi 21 e 27%. Uma das explicações desta desgraça é ele não perceber que só um PSD forte por dentro é confiável lá fora. Quem não respeita nem aproveita a força dos militantes, dos deputados, dos dirigentes e dos autarcas está condenado a resultados medíocres. Agradeço a Rui Rio ter deixado esta diferença entre nós tão clara."

"A força vem de dentro" é o slogan da candidatura de Luís Montenegro à liderança do PSD. O antigo líder parlamentar lançou na passada sexta-feira (1 de novembro) um site onde fala mais para o país do que para o partido. Em Braga, numa ação de campanha, defendeu que quer um PSD "forte para reformar Portugal sem depender do PS. E esta vai ser a marca de distinção em relação ao seu principal opositor, Rui Rio, que admitiu entendimentos com António Costa nas grandes questões estruturais.

Num vídeo, em mangas de camisa, à beira-mar, Montenegro faz apelo ao regresso ao poder dos sociais-democratas: "Quero partilhar convosco a minha vontade e a minha determinação em hoje liderar o PSD e amanhã liderar Portugal". E de tal forma quer um discurso abrangente que abraça na sua mensagem até os que não se revêm na social-democracia.

"Sinto em primeiro lugar uma Força grande que vem de dentro do PSD, dos seus militantes, dos seus simpatizantes, dos seus votantes, dos seus autarcas, de todos aqueles que têm acreditado ao longo dos anos na nossa mensagem política e no nosso trabalho. Mas sobretudo sinto uma grande Força que vem de dentro de cada português, de todos os portugueses, de todos os partidos ou mesmo daqueles que não têm nenhum tipo de preferência partidária".

Montenegro assume nesta primeira mensagem de candidatura a sua visão para o país, numa tentativa clara de passar a mensagem aos militantes do PSD que é o mais capaz de levar o partido a futuras vitórias eleitorais. "Sinto em primeiro lugar uma Força grande que vem de dentro do PSD, dos seus militantes, dos seus simpatizantes, dos seus votantes, dos seus autarcas, de todos aqueles que têm acreditado ao longo dos anos na nossa mensagem política e no nosso trabalho. Mas sobretudo sinto uma grande Força que vem de dentro de cada português, de todos os portugueses, de todos os partidos ou mesmo daqueles que não têm nenhum tipo de preferência partidária".

Rui Rio quebrou o silêncio sobre a sua recandidatura no final de outubro, no Porto. Agora já a liderar também a bancada parlamentar até ao congresso de fevereiro, o presidente do partido apontou a altura as baterias contra Montenegro e afirmou que se não se candidatasse o partido se poderia "fragmentar".

O terceiro candidato à liderança, Miguel Pinto Luz, também assumiu a sua decisão num vídeo publicado no Youtube, mas deverá fazer uma apresentação pública da sua candidatura.

[Notícia atualizada às 14h50 com nota colocada pelo candidato no Facebook]

Exclusivos