Joacine Katar Moreira demite-se do Livre

A carta de demissão foi enviada nesta madrugada aos três órgãos nacionais dirigentes do partido: Grupo de Contacto, Assembleia e Conselho de Jurisdição.

Joacine Katar Moreira já não é militante do Livre. A (agora) deputada não inscrita enviou a carta de desvinculação nesta madrugada. A notícia foi avançada pelo Expresso e confirmada pelo DN.

A desvinculação do partido pelo qual foi eleita deputada ocorreu cerca de um dia depois de Joacine ter solicitado passar à condição de deputada não inscrita.

"A sensação, por enquanto, não é de liberdade nenhuma. Mas, de repente, fez-se algum silêncio e isso é uma espécie de ouro neste momento."

A deputada anunciou a desvinculação do Livre na sua página no Facebook: "A sensação, por enquanto, não é de liberdade nenhuma. Mas, de repente, fez-se algum silêncio e isso é uma espécie de ouro neste momento."

Na semana passada, a Assembleia do Livre retirou confiança política à deputada, aprovando uma resolução que já vinha de antes do congresso do partido. Nesse congresso, a deputada respondeu às acusações e às críticas de que foi alvo, dizendo que a direção do partido a tratou apenas como uma "mulher negra que foi útil para a subvenção".

No fim de semana, a deputada reafirmou que essa decisão do partido não a levaria a renunciar ao mandato parlamentar.

O conflito entre a direção do Livre e a deputada tornou-se público a 23 de novembro, quando a direção criticou a deputada por esta se ter abstido num voto parlamentar do PCP sobre o conflito israelo-palestiniano. O conflito foi aumentando de tom e termina agora com a rutura total entre as duas partes.

Até ao último congresso, Joacine Katar Moreira integrava a direção executiva do Livre (Grupo de Contacto). Em junho tinha sido número dois da lista do partido ao Parlamento Europeu, atrás de Rui Tavares.

O Livre surgiu em 2013 e foi pela primeira vez a votos em junho de 2014, nas eleições, sendo o cabeça-de-lista, Rui Tavares, o principal fundador do partido. O Livre obteve, em valores absolutos (71,6 mil votos) e percentuais (2,18%), o seu melhor resultado de sempre - mas Tavares não logrou ser eleito.

Continuou a não o conseguir nas legislativas de 2015 e nas europeias de 2019.

Encabeçando o mesmo círculo, Joacine Katar Moreira conseguiu ser eleita deputada nas últimas legislativas. Agora a deputada já não é do partido e o partido deixou de ter a representação na Assembleia da República que tinha conquistado em outubro, ao fim de quatro eleições.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG