Sondagem: Bloco e PSD a descer, CDS com maior subida

O PS registou uma subida de 0, 9 pontos percentuais, a CDU subiu de 7% para 7,1% e os centristas conseguiram passar de 7,4% para 9,2%

Uma sondagem da empresa Aximage feita para o Jornal de Negócios e o Correio da Manhã mostra uma descida de quase dois pontos nas intenções de voto no Bloco de Esquerda, que cai de 9,5% das intenções de voto em julho para 7,8% em setembro. Esta quebra pode ser explicada pelo caso Robles.

Mas a sondagem também mostra que o PSD saiu prejudicado nas intenções de voto, caindo de 27,2% em julho para 24,1% das intenções de voto no mês de setembro, sendo que fatores como as críticas à liderança do partido por parte de Rui Rio no verão e a criação de um novo partido por Santana Lopes podem estar por detrás destes valores.

Em contraste com o PSD e o CDS, houve partidos que foram beneficiados nesta sondagem. O PS, por exemplo, registou um aumento das intenções de voto de 39% para 39,9%. Por outro lado, a CDU obteve um aumento de 7% em julho para 7,1% em setembro. Por fim, o CDS foi o partido que registou a maior subida: se em julho as intenções de voto estavam nos 7,4%, em setembro esse valor passou para os 9,2%.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.