Santana Lopes já teve alta

O líder da Aliança teve alta esta quinta-feira, pelas 14:30 do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, onde esteve internado após uma aparatoso acidente na A1 no dia anterior.

Pedro Sanatana Lopes saiu esta quinta-feira do internamento hospitalar "sem lesões médico-cirúrgicas significativas", segundo o boletim clínico. Por indicação médica, o antigo primeiro-minsitro deverá ter um período de convalescença e garantir a sua plena recuperação.

"O dr. Pedro Santana Lopes ainda está com muitas dores, mas bem-disposto", tinha dito esta manhã de quinta-feira ao DN uma fonte do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.. O antigo primeiro-ministro e líder da Aliança está a fazer exames complementares para avaliar se tem condições de ter alta ainda esta quinta-feira. As suspeitas de traumatismo craniano não se confirmaram após o aparatoso acidente que sofreu na A1 com o cabeça de lista do partido às eleições europeias, Paulo Sande.

Pedro Santana Lopes, que seguia ao volante, chegou a estar encarcerado, tendo sido retirado da viatura com o auxílio dos bombeiros e transportado de helicóptero para Coimbra.

Ao DN, fonte do INEM explicou que o transporte de helicóptero é um procedimento normal nestas situações. "O CODU (Centro de Orientação de Doentes Urgentes) teve informação de que havia um acidente grave com capotamento e duas vítimas encarceradas, tendo acionado de imediato um helicóptero, uma viatura médica e duas ambulâncias", adiantou.

Depois de a equipa médica avaliar as vítimas, "o CODU tomou a decisão médica de manter o helicóptero" que transportou Santana Lopes, com "suspeita de traumatismo torácico", cuja gravidade só poderia ser "avaliada em ambiente hospitalar", pois o INEM no local não dispõe de meios complementares de diagnóstico.

Já Paulo Sande, que saiu da viatura pelo próprio pé, foi transportado de ambulância para o CHUC, "com suspeita de traumatismo craniano". Em declarações aos jornalistas, admitiu entretanto que devia ter permanecido no veículo até chegarem os meios de socorro: "Saí pelo meu próprio pé mas não devia ter saído. Já levei um raspanete dos médicos por causa disso."

Ao fim da noite, após ter recebido alta hospitalar, o cabeça-de-lista do Aliança às europeias afirmou aos jornalistas que os exames médicos realizados não revelaram qualquer problema, nem a si próprio nem ao ex-primeiro-ministro.

Santana Lopes permanecia ainda no hospital, pois estava "mais dorido", nas palavras de Paulo Sande. Mas estava bem de saúde, garantiu: "No final disto tudo não passou de um grande susto", afirmou.

"O acidente foi de grande aparato", reconheceu Paulo Sande. "É uma experiência que não desejo a ninguém."

A intervenção médica, completou, foi realizada "por precaução". "Imobilizaram-nos, depois trouxeram-nos [para o hospital] e chegaram à conclusão de que está tudo bem", afirmou.

O acidente ocorreu na autoestrada 1 (A1) ao quilómetro 136, na zona de Colmeias, entre Soure e Pombal, quando os dois seguiam de Coimbra para Lisboa, com o antigo primeiro-ministro a conduzir a viatura. Para o helicóptero aterrar e levantar, a via esteve cortada entre as 18.30 e as 19.27.

Relativamente ao desastre, Paulo Sande pouco se recorda: "Lembro-me do momento em que começámos a dar cambalhotas, de estar a ver a estrada e de deixar de a ver." Garante no entanto que "o automóvel ia devagar". "Não íamos a muito mais de 120 km/h, senão teria sido pior", assegurou.

Com Joana Capucho e Ricardo Simões Ferreira

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.