Petição internacional contra Marine Le Pen na Web Summit

A participação da dirigente da extrema-direita francesa no grande evento tecnológico que se realiza em Lisboa tem gerado grande polémica. E agora já corre um abaixo-assinado contra a sua presença.

"A Web Summit é uma plataforma para criar um futuro melhor: não a Marine Le Pen como oradora" é o título do abaixo-assinado internacional contra a presença da líder do partido francês Reunião Nacional (antiga Frente Nacional) disponível na plataforma Change.org.

O texto da petição sublinha que ao permitir que Le Pen participe no evento, a Web Summit "está a validar as suas opiniões extremistas", como a promoção da xenofobia e o encerramento de fronteiras comunitárias.

"A equipa da Web Summit trouxe para o palco Marine Le Pen, como oradora. Marine Le Pen é uma política francesa cujos pontos de vista estão associados à extrema-direita, promovendo a xenofobia, o encerramento das fronteiras da União Europeia e outras visões extremas que não estão alinhadas com os valores da Web Summit", refere o texto que tem como primeira subscritora Ahlem Mahroua - que se identifica como mulher, empreendedora e francesa.

A blogger Ahlem Mahroua é filha de pais argelinos e antiga sales manager da Google, tendo deixado a empresa para fundar a Digital Nomads Media.

O texto refere ainda que a Web Summit é um evento tecnológico que reúne líderes, criadores de mudança e empreendedores e pretende "fomentar a colaboração e criar um futuro melhor, graças ao uso da tecnologia", não sendo conhecida qualquer realização nesse sentido à dirigente política francesa. "Não acredito que ela tenha alguma realização notável no campo da tecnologia, nem demonstrou liderança em mudar o mundo", escreve Ahlem Mahroua.

A participação de Marine Le Pen na conferência de Lisboa - que se realiza realiza entre 5 e 8 de novembro - tem gerado alguma confusão depois de a organização da Web Summit ter tirado no sábado o seu nome da lista de oradores convidados e de na segunda-feira ter voltado a integrá-lo, tal como o DN noticiou. Os responsáveis pela conferência não ainda não deram qualquer explicação.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.