Bloco de Esquerda quer ouvir Aguiar Branco sobre Tancos

O Bloco de Esquerda quer ouvir o antigo ministro da Defesa José Pedro Aguiar Branco (PSD) no âmbito da comissão parlamentar de inquérito sobre Tancos. Além do antigo ministro social-democrata, o Bloco quer ouvir duas dezenas de pessoas, incluindo o ex-ministro Azeredo Lopes.

Num requerimento enviado ao presidente da comissão parlamentar de inquérito sobre Tancos o deputado João Vasconcelos solicita ainda que seja pedido à comissão parlamentar de Defesa o envio dos documentos "na posse desta Comissão relativos ao 'assunto Tancos', a fim de serem consultados no âmbito da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre as consequências e responsabilidades políticas do furto de material militar ocorrido em Tancos".

João Vasconcelos acrescenta no documento enviado ao deputado Filipe Neto Brandão (presidente da comissão) os nomes das pessoas que o Bloco quer ouvir. São eles: José Alberto Azeredo Lopes (ex-ministro da Defesa); José Pedro Aguiar-Branco (ex-ministro da Defesa); General Rovisco Duarte (ex-CEME); General Pina Monteiro (ex-CEMGFA); Paulo Almeida (comandante do Regimento de Engenharia - Tancos); Ferreira Duarte (comandante do Regimento de Infantaria 15 - Tomar); Teixeira Correia (comandante da Unidade de Apoio da Brigada de Reação Rápida); Hilário Peixeiro (comandante do Regimento de Paraquedistas); Amorim Ribeiro (comandante da Unidade de Apoio de Material do Exército); Tenente-general Antunes Calçada; Tenente-general António Menezes (ex-Comandante das Forças Terrestres); Coronel Luís Vieira (ex-Diretor-geral da PJM); Major Vasco Brazão (ex-porta-voz da PJM); Major-general Martins Pereira (ex-chefe de gabinete do ministro da Defesa); Bruno Ataíde, sargento Lima Santos, sargento José Carlos Costa, (os três militares na GNR de Loulé); Mário Lage de Carvalho (militar da GNR em serviço na PJM no Porto); Major Roberto Pinto da Costa (PJM do Porto); Coronel Manuel Estalagem (líder da investigação criminal da PJM); Tenente Coronel António Mota (presidente da AOFA); Mário Ramos (presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS); Luís Reis (presidente da Associação de Praças).

A comissão parlamentar vai tentar as eventuais responsabilidades políticas e não só relacionadas com o furto de material de guerra nos paois da base militar de Tancos conhecido em 29 de junho de 2017.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".