PS diz que idoso que irritou Costa é do CDS. Centristas negam envolvimento

ATUALIZADA. PS vai processar homem que fez Costa perder a cabeça. Socialistas afirmam saber a identidade do idoso, um ex-autarca eleito pelo CDS-PP em Lisboa. Centristas negam estar por trás do incidente.

Chama-se Joaquim Elias e foi autarca eleito pelo CDS-PP em Lisboa, na antiga freguesia de S. José (hoje pertencente à freguesia de Santo António).

Esta é a identidade do idoso com quem esta tarde, no Terreiro do Paço, António Costa perdeu a cabeça.

A informação foi avançada no Facebook pelo socialista que preside à junta de freguesia de Santa Maria Maior, Miguel Coelho.

O filho de Joaquim Elias, também com o mesmo nome, é assessor do CDS na Assembleia Municipal de Lisboa e é autarca na junta de Freguesia de Santo António.

O CDS veio depois, em comunicado, negar que o visado seja seu militante e acusou, por seu lado, António Costa de ter tido "uma atitude desproporcionada" na situação em causa, tendo de seguida decidido"acusar sem provas e de forma absolutamente reprovável um partido político fundador da democracia".

"Confirmamos que há anos o senhor foi autarca do CDS numa Junta de Freguesia. Esclarecemos que a sua atuação não teve qualquer ligação, instrução ou articulação com o partido, que a ela é completamente alheio. Não criámos qualquer situação, não tivemos qualquer conhecimento nem fomos coniventes", lê-se em nota distribuída aos jornalistas.

"O CDS rejeita e repudia veementemente qualquer tipo de insinuação de que teríamos montado o incidente, como infelizmente temos visto da parte de dirigentes do PS", afirmam ainda os centristas.

No mesmo comunicado, o CDS lembra que também a sua líder, Assunção Cristas, foi alvo de uma tentativa de agressão: "Rejeitamos e repudiamos qualquer ato de agressão, física ou verbal, em qualquer circunstância e mais ainda em período de campanha eleitoral, como de resto foi referido pela Presidente do CDS durante a campanha, ela própria alvo de vários ataques verbais e um também físico".

Esta posição do CDS surgiu depois de diretor de campanha de Assunção Cristas e vereador em Lisboa, João Gonçalves Pereira, em delcarações ao Expresso, ter negoado que Joaquim Elias ainda seja militante. Afirmou que o filho de facto é filiado no CDS, mas garantiu Joaquim Elias desfiliou-se há vários anos.

Horas depois dos incidentes, a direção nacional do PS anunciou que irá apresentar queixa-crime contra o indivíduo em causa, e terceiros, por difamação.

Após o incidente, o DN interpelou o idoso, que recusou identificar-se, não dizendo nem nome, nem idade nem ocupação. No entanto assegurou ser um eleitor habitual do PS: "Toda a vida votei socialista."

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.