Elisa Ferreira com "luz verde" do Parlamento Europeu

Em causa estava um conjunto de ações do grupo Sonae que a comissária indigitada por Portugal vendeu entretanto.

A comissão de Assuntos Jurídicos do Parlamento Europeu (PE) deu hoje "luz verde" à comissária indigitada por Portugal, Elisa Ferreira, depois de analisar os esclarecimentos adicionais que havia solicitado, revelaram fontes parlamentares à agência Lusa.

Fontes do PE informaram que o caso de Elisa Ferreira "está fechado" e que a comissão de Assuntos Jurídicos (JURI) do parlamento irá agora enviar uma carta à comissão do Desenvolvimento Regional, responsável por ouvir a comissária designada, indicando que a audição, marcada para 2 de outubro, pode acontecer.

Responsável por avaliar "conflitos de interesses potenciais ou reais dos comissários indigitados" para o próximo executivo comunitário, a JURI tinha levantado, na última quinta-feira, algumas questões sobre Elisa Ferreira, por a anterior vice-governadora do Banco de Portugal deter ações no grupo Sonae, pedindo-lhe esclarecimentos adicionais.

No mesmo dia, em comunicado, a equipa da comissária indigitada deu conta de que, "perante questões levantadas sobre a detenção de ações da Sonae SGPS", Elisa Ferreira tinha decidido dar ordem de venda às ações, com o valor estimado de 13.800 euros.

Na terça-feira, depois de ter reunido com o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, Elisa Ferreira disse acreditar que "a questão ficou resolvida" com a venda das ações. "A JURI perguntou-me de se eu não poderia vender uma participação acionista muito pequenina numa empresa portuguesa e eu, imediatamente, até antes da carta [daquela comissão] chegar já tinha vendido, porque de facto não tinha nenhum interesse naquilo, e se aquilo era perturbador, tudo bem", afirmou, em declarações aos jornalistas portugueses em Bruxelas.

Segundo Elisa Ferreira este "foi o único assunto que o Parlamento Europeu levantou" sobre si, considerando que "o escrutínio dos conflitos de interesses das pessoas faz parte" do processo e que é "muito bom que sejam postas as coisas de uma forma clara".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG