Costa: Natal "não será normal" e Ano Novo "seguramente" sem festas

Na próxima quinta-feira será anunciado o plano de vacinação contra o covid-19, e no sábado as medidas já para todo o próximo mês, abrangendo Natal e Ano Novo.

O Natal "não vai poder ser um Natal normal" e quanto ao Ano Novo será celebrado "com todas as restrições" - "não haverá seguramente festas de fim de ano".

As novidades foram avançadas esta manhã pelo primeiro-ministro, numa entrevista à rádio do Observador.

Na entrevista, o chefe do Governo revelou que no próximo sábado serão anunciadas as medidas de confinamento para o próximo mês, apanhando portanto o Natal e o Ano Novo.

António Costa não quis antecipar medidas argumentando que espera por mais uma reunião do Infarmed, que terá lugar na quinta-feira.

Também na quinta-feira, será anunciado o plano nacional de vacinação contra o covid-19, esperando-se que as vacinas comecem a chegar em janeiro a Portugal.

"O ritmo dos novos casos está a diminuir (...) As medidas [de contenção] estão a produzir o efeito."

Costa negou eventuais atrasos na preparação da logística desse plano: "Estamos bem a tempo" e "não vale a pena anteciparmos ansiedades quando já estamos suficientemente ansiosos", disse.

Procurou, por outro lado, mostrar-se otimista quando à evolução da pandemia em resultado das medidas de confinamento que têm vindo a ser postas em prática.

"O ritmo dos novos casos está a diminuir" e "o famoso R está a baixar", o que significa que "as medidas [de contenção] estão a produzir o efeito".

O chefe do Governo disse no entanto que "a queda da pandemia vai ser mais lenta [em Portugal] mas os danos económicos serão menos duros" porque, entre outras coisas, Portugal é dos "pouquíssimos" países na Europa onde a restauração tem menos limitações no seu funcionamento.

Ao mesmo tempo, assegurou que não estão previstas mudanças no calendário escolar. "As férias de Natal não serão antecipadas."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG