Costa: governo "não sabia" que havia riscos em Borba

Primeiro-ministro diz que já foi ordenado inquérito para apurar se houve falhas nos procedimentos da Direção-Geral de Geologia e Energia.

O primeiro-ministro António Costa defendeu esta quarta-feira a necessidade de se "apurar responsabilidades" no que diz respeito ao acidente de Borba, desde a gestão das pedreiras, ao nível do "licenciamento, fiscalização, funcionamento", à fiscalização por parte das entidades competentes, nomeadamente a Direção-geral de Geologia e Energia.

O primeiro-ministro diz que irá verificar se houve alguma falha da parte do Estado, assinalando que não compete ao governo "comentar atos de responsabilidade de outras entidades".

O primeiro-ministro insistiu que "o governo não sabia" da existência de riscos e acrescentou que foi ordenado um inquérito para apurar se houve falhas de procedimentos por parte da Direção-Geral de Geologia e Energia.

António Costa lamentou ainda as mortes, endereçando condolências às famílias das vítimas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG