Candidata a líder da JS corrige currículo "com gralhas", mas não o LinkedIn

Página de LinkedIn de Maria Begonha continua a fazer referência a um mestrado em Ciência Política, ainda que a candidata já tenha corrigido informação no currículo

A página de candidatura de Maria Begonha à liderança da Juventude Socialista (JS) foi alterada na terça-feira, corrigindo a informação de que a jovem socialista tinha o grau de mestre em Ciência Política, mas a página de LinkedIn da candidata continua a fazer referência a um mestrado.

O currículo publicado nesta rede social faz referência a um "Mestrado em Ciências Políticas, Ciências Sociais", apontando a data de "2011-2012". Maria Begonha frequentou o mestrado, mas não o chegou a terminar.

A notícia dos erros na biografia da candidata à estrutura da juventude do PS, no site da candidatura, foi ontem avançada pelo jornal Público . Tiago Estêvão Martins, diretor da campanha, garante que "todas as informações que a Maria [Begonha] prestou para a biografia estavam corretas", mas o que acabou publicado "corresponde a uma versão não validada" dos dados. A página da candidata foi entretanto alterada, corrigindo não só o percurso académico, mas também a data de nascimento e as funções que desempenhou na Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa, explicitando agora que foi presidente da Mesa da associação, e não líder daquela organização, como sustentava a referência inicial. A página inclui agora uma nota onde lê "atualizado em 23/10/2018 para correção de gralhas".

Já quanto à referência no LinkedIn, Tiago Estêvão Martins diz que esta questão "está fora do escopo da campanha", mas acrescenta que a referência ao mestrado não permite tirar outra conclusão além da frequência daquele grau. "Parece-me que é uma interpretação abusiva considerar que a Maria está a afirmar que é mestre, na medida em que o mestrado é de dois anos e a Maria diz que o frequentou durante um ano", referiu ao DN.

Maria Begonha publicou ontem um esclarecimento na sua página de Facebook, afirmando que a "informação disponibilizada no site correspondia a uma versão não validada e por lapso publicada".

O novo líder da JS - que sucederá a Ivan Gonçalves - será escolhido em Congresso Nacional, entre 14 e 16 de dezembro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG